Retoques na Pintura das Paredes: Erros e Acertos

Drama du jour:

“É errando que se aprende”. Pura verdade. Mas como “quem avisa amigo é”, a gente também sempre pode aprender um pouco com os erros dos outros, né? Vou falar hoje sobre os retoques na pintura das paredes, e algumas soluções criativas para minimizar os probleminhas que tive.

Primeiramente, ninguém me disse que retocar pintura era tão difícil. Será que as pessoas acham que esse conhecimento já vem conosco de nascença, que faz parte do inconsciente coletivo? Só pode ser, porque falei para várias pessoas sobre o fato de que faria alguns retoques e ninguém me avisou dos riscos. Que mesmo usando a mesma tinta, da mesma lata, pouco tempo depois, poderia dar diferença.

Haviam ficado faltando poucas coisas na pintura do apartamento. O último dia em que vi o meu ex-pintor Márcio, ele tinha ficado de voltar para fazer retoques em geral (em volta das tomadas que ainda não haviam sido instaladas; retocar pintura que eventualmente pudesse ser danificada com as obras etc.) Pois bem, depois que eu paguei a ele, nunca mais vi o mesmo, ele só me enrolou e enrolou. Até que parou de me atender.

(fica a dica: nunca pague tudo antes de o serviço completo estar terminado. Se eu tivesse deixado para dar 50 reais que fossem pra ele quando voltasse para fazer os ‘retoques’, aposto que teria sido muito mais fácil.)

Enfim, contratei outra pessoa para realizar o servicinho. Não achei que fosse ser tarefa complicada, pois tinha todo o material que o pintor havia usado. Ingênuo.

A primeira tarefa era pintar o espacinho que ficou sobrando em cima do papel de parede, como podem ver na evolução dessa foto:

Originalmente, esse espacinho de parede não teria nada, como se vê na foto 1. Mas acabou que sobrou um pedaço do papel de parede, que cabia magicamente ali. E o papel era lindo demais para desperdiçar! O problema era que ele não ia até o chão.

Aí tive a ideia de começar o papel de parede não do teto, mas sim um pouco abaixo, como podem ver na foto 2, e, futuramente, cobrir o pedaço restante com a tinta cinza (foto 3), de forma que parecesse que esse era o plano original desde sempre. Até aí tudo bem, não houve grande problema (deu uma diferença na cor, mas quase imperceptível).

O problema começou mesmo quando os retoques precisaram ser feitos por cima da pintura já existente.

Olhem bem essa foto.

Na verdade, nem precisam olhar bem para perceber que toda a área em volta do interruptor, que precisava ser retocada, ficou diferente né. A princípio, eu dei uma surtada quando comecei a perceber que esse tipo de coisa havia acontecido em algumas partes da casa. Pensei, “F&%%@#, vou ter que repintar tudo!”. Mas, no mesmo momento, ainda com o rapaz trabalhando, me forcei a pensar em estratégias não tão radicais para contornar o problema.

E aí, sempre com aquela ideia de que um grande problema pode acabar te dando uma ideia interessante (que você não teria tido de outra forma), lembrei de Friends.

Sim, a série de TV.

Estou falando daquela moldura tão famosa que eles usavam na porta, em volta do olho mágico, lembram?

Isso me lembrou que, hoje em dia, ainda vemos nas revistas de decoração que qualquer coisa pode ser emoldurada – até mesmo o nada (molduras vazias estão super em alta!)

Então peguei um porta-retrato, tirei o fundo dele, e coloquei, só para testar, a moldura em volta do interruptor.

Voilà! Não dava pra perceber mais a diferença! Era cinza fora, cinza dentro, mas não dava pra ver que eram cinzas diferentes rsrs….

No outro dia saí a procura do meu kit moldura:

Não queria pregar a moldura na parede, acho que nesse caso ficaria mais bonito se a moldura estivesse de fato ‘colada’ na parede. Foi assim que, pesquisando na internet, cheguei à fita dupla face para quadros Fixa Forte da 3M (foto acima)São uns quadradinhos dupla face que seguram (bem!) um quadro ou moldura na parede. Claro que se for algo muito pesado, é bom que esteja realmente fixo através do modo tradicional; mas, nesse caso, como era algo bem leve, a dupla face caiu como uma luva.

Já para a moldura em si, passei numa loja de quadros, comprei um porta-retrato com uma moldura branca bonita (achei que faria um contraste legal com o cinza da parede), e depois tirei o vidro, a parte de madeira e o gancho para pendurar na parede. O resultado?

Honestamente? Adorei! Se a meleca da pintura estivesse perfeita, a sala não teria ganho esse detalhe notável.

Ok, menos um problema. Vamos passar então para o problema com a tinta BRANCA. Sim, porque até a tinta branca deu diferença. Impressionante. O rapaz foi retocar algumas falhas causadas por mudanças e etc. e olha como ficou…

Essa primeira foto fica próxima da impressão que tínhamos quando olhávamos para a parede sob incidência da luz. Dava claramente para ver o que estava diferente. E o pior, ele foi retocando tudo né, quarto, sala, e só depois que percebemos que quando batia luz dava diferença. Outro momento TENSO.

Essa parede das fotos, resolvi abstrair, pois o armário esconderá completamente. Resolvo quando pintar o apê de novo, um belo dia. Mas e na sala… no corredor…. onde dá pra ver, abaixo dos quadros, logo que se entra no apartamento?

Não podia ficar daquele jeito. Então pintou uma ideia, que imediatamente sugeri ao ‘pintor’. Primeiro vou mostrar o resultado!

Então, mataram a charada? Se repararem bem, podem notar que há uma ‘faixa’ cortando a parede  logo abaixo dos quadros. Pois bem, novamente, minha ideia foi a de que tudo deveria parecer proposital. Então pedi para ele pintar uma faixa larga, de uns 80 cm, na parede toda. A diferença é bastante sutil, e só pode ser vista de dia. Mas, se alguém de fato notar, pode achar que está assim porque essa era a intenção, como que para brincar com diferentes nuances da mesma cor, entendeu?

Escondeu as pinceladas aleatórias completamente. Fiquei feliz com a ideia. Me ocorreu depois que o pintor deveria ter sugerido algo do tipo, talvez. Ele não é o profissional?

Enfim… acho que é isso. Alguns detalhes não ficaram perfeitos, mas acho que também acabamos focando em detalhes que nem a visita chata observadora seria capaz de perceber. Às vezes temos que relaxar um pouco!

No fim das contas, acho que consegui minimizar bastante os problemas e ainda ganhei um up na decoração. E bola pra frente!

Abraços!

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Anúncios

32 comentários em “Retoques na Pintura das Paredes: Erros e Acertos

  1. Pingback: Quarto Pintado: Coral Pluma de Pavão | a saga do apartamento

  2. Pingback: Tintas da Sala e Quarto | a saga do apartamento

  3. Olá Thiago!

    A ideia da moldura no interruptor ficou genial!
    Parece até que faz parte dos planos desde sempre…hehe
    Infelizmente com a falta de compromisso de alguns profissionais o jeito é ser criativo mesmo.

    Mas tudo tudo bem legal.
    Bjs

  4. Olá Thiago!

    É a primeira vez que estou comentando, adoro seu blog e foi dele que veio a inspiração de colocar o durafloor carvalho dover no meu novo apartamento, eu e meu noivo estamos esperando ansiosos pela instalação e também comecei a contar a nossa saga lá meu blog pessoal 🙂

    Bjs,
    Dri – infinito.blog.br

    • Oi Adriana, que bom que resolveu comentar! 🙂
      Acabei de ver seu blog (lindo)! Quero ver depois o Dover instalado! Espero que fique tão feliz quanto eu fiquei com a escolha… é um ótimo piso e todo mundo que chega elogia a beleza dele!
      Obrigado pela mensagem.

      Bjs,
      Thiago

  5. Oi Thiago! Estou passando por isso nesse exato momento. Paredes pós obras, pinturas com manchas e esses famosos retoques feitos pelo “pintor profissional”. Parabéns pelas idéias!! Eu tenho uma parede roxa na sala onde vai ficar a TV. Meu xodó essa paredinha. Vou ter que pintá-la novamente. Antes tinha usado tinta fosca. Agora decidi por usar a tinta Coral super lavável acetinada. Será que vai ficar bom?
    Sobre o piso, eu ia escolher o Dover que é tudo de lindo, mas acabei decidindo pelo Soho (style da Durafloor), simplesmente AMEIIII !!!

    Beijo!!!

    • Oi Tathiana, eu gostei muito do resultado da Coral Super Lavável. Acho que vc vai gostar sim!
      Agora, a linha Style da Durafloor realmente é um arraso, ótima escolha! A cor Soho é linda mesmo!

      Bjs,
      Thiago

  6. Pingback: Sala Pintada: Branco e Cinza personalizado | a saga do apartamento

  7. Pingback: Primeiro Aniversário do Blog: Uma Retrospectiva | a saga do apartamento

  8. ola , estou construindo minha casa (140 m²) e estou pesquisando bastante para saber detalhes em decoração e acabei achando seu blog, adorei e estou sempre vendo as novidades por aqui, gostei muito da parede cinza, qual marca vc usou e/ou nome da cor, obrigada desde já !!!

  9. Agora você já sabe, quando for pintar ou texturar sua casa ou seu apartamento, contrate os serviços da Pintura Arte, com o sinal de 30% depois de 3 dias de trabalho iniciado e o restante parcelado em até 3x dependendo do valor.
    tel. para contato:(21)99484-5088/ 7862-0489

  10. Olha, eu já tinha ouvido falar que nunca se deve pagar pelo serviço todo antes do pedreiro ou pintor terminar tudo… aconteceu comigo o seguinte: eu tinha pago metade do serviço(esse pessoal é esperto – no começo não pede nada, mas durante a obra fala: – Não dá pro senhor dar um adiantamento? Preciso visitar minha mãe, meu pai, minha filha está doente blablabla…) Acontece que como cancelei outros serviços que ele ia fazer, essa metade que tinha pago acabou sendo TODO o serviço que ele ia fazer, ou seja, paguei tudo antes dele terminar todo o serviço. Me ferrei: enrolou, não aparecia na obra, etc. atrasou 1 semana o serviço. Fala que amanhã vai, mas acaba não indo. Ô raça!!!

  11. Pingback: Redecorando a Sala – parte 1: Pintura das Paredes e Portas | a saga do apartamento

  12. Pingback: Redecorando a Sala – parte 5: Molduras na Decoraçao | a saga do apartamento

  13. Oi! Tô passando pelo mesmo problema. Aliás, vou passar. Minha casa tava perfeita, mas meu pai não para quieto e acabou danificando a pintura ao redor de um armador de rede e também escorregou com a cadeira e raspou um pouco a tinta. Pensei em lixar um pouco e muito sutilmente, com o auxílio de um pincelzinho, pintar exatamente sobre as falhas. O que me diz?

    • Olá, tudo bem? Olha, acho que é válido tentar sim! Mas sempre há o risco de ficar diferente! Mas é aquilo, às vezes é tão sutil que só nós percebemos. Se for uma coisa que te incomode muito, aí sim, vale a pena repintar!

  14. Pois é Thiago. Acabei de passar por uma experiência bem desagradável. Meu filho mudando do apartamento alugado, tendo que repintá-lo antes da entrega e resolvi ajudá-lo. Não sou profissional de pintura, mas já pintei muita parede na vida, sempre com resultados muito bons, sem respingos de tinta, sem manchas e de forma bem econômica. No apartamento, as paredes estavam pintadas com branco neve fosco. Não parecia um grande desafio pois a pintura anterior estava com ótimo aspecto. Haviam apenas umas micropartículas provenientes da pintura anterior, pequenos riscos e manchas leves em alguns pontos. Um leve lixamento (lixa 220), aplicação de espanador e por fim um pano ligeiramente umidecido e as paredes estavam prontas. Numa loja de tintas próxima, comprei duas latas de 3,6 litros de latex premium, branco fosco aveludado, da Suvinil. Tinta diluída a 30% na bandeja e comecei a repintar com rolo de espuma de 24 cm. Aí começaram os problemas. Uma das paredes de entrada (4m de comprimento por 2,5m de altura), logo após a primeira demão começou a apresentar marcas verticais bem pronunciadas, da largura do rolo ! E eu aplicando o rolo formando “N”, “W” e “M”, como recomendado. A parede ficou toda listrada. Nunca vi nada igual. Parei o serviço, fiz contato com a assistência técnica da tinta, por chat on line. Muitas perguntas além do nome e endereço, como: lote, código, validade, nota fiscal, loja vendedora, endereço da loja e tal. Enviei fotos. Por fim o diagnóstico: eu não havia diluído na proporção correta de 50 %. Orientação: lixar novamente a parede pois a superfície ficou desnivelada com a aplicação do produto em concentração maior que a recomendada. Lixei, diluí na proporção recomendada e repintei. O resultado ficou ainda pior. Levei um experiente pintor profissional, conhecido meu, até o apto para examinar e me orientar. Ele olhou, me fez várias perguntas, examinou a tinta, o rolo, por fim coçou a cabeça e disse: “Não faço a menor ideia do que está acontecendo; nunca vi nada igual !” Meu filho e eu vamos entregar o apto do jeito que está, para não piorar ainda mais as coisas. Tenho uma suspeita de que a tinta reagiu à pintura (talvez acrílica) anterior.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s