Bancada da Cozinha Americana

Fato 1: Por mais que você planeje cada espacinho do seu apê, nem sempre tudo sai como planejado.

Fato 2: Nem sempre isso é algo ruim.

Com a bancada da cozinha foi bem assim… e no final das contas fiquei feliz que tenha ficado diferente do projeto original. Na verdade, houve duas versões diferentes para a bancada, antes da que está agora devidamente instalada.

A primeira, que tinha feito há bastante tempo na New Móveis (bate na madeira!) era assim:

O tubo de aço cortava as prateleiras verticalmente, indo do chão até o teto. Quando eu levei o projeto para a Bon Bini/ Italínea um ano depois, resolvi alterar um pouco o projeto:

Para dar uma sensação maior de espaço (com menos obstrução no campo de visão) o tubo de inox só fazia agora a sustentação das prateleiras, não estando presente no espaço central entre as duas.

Quando a Bon Bini veio instalar a bancada, entretanto, notei que o tubo de aço inferior era muito baixo, tinha 78 cm. Essa é a altura média de uma mesa de jantar, e não de uma bancada, que geralmente precisa ser mais alta (cerca de 1m de altura). A Bon Bini me deu duas opções: ou iriam conseguir um tubo mais alto; ou usar, ao invés de um tubo de aço, uma outra régua de madeira para fazer a sustentação da prateleira.

O instalador me mostrou, usando a régua da prateleira superior, como a bancada ficaria somente com madeira. E pronto, foi isso! Gostei muito do visual, e acabou que no fim das contas a bancada ficou assim:

A bancada é muito prática, clean e funcional. Charmosa mas não pesa no ambiente. Quase nem sento na mesa de jantar (até porque vidro dá um trabaaalho de limpar, e risca tão fáaacil….), só quando tem visita. E dá pra duas pessoas sentarem com facilidade. Ela tem 1,10 de largura, e 1,00 de altura.

Quando o rapaz foi fazer a instalação da prateleira superior, houve um problema – ele calculou mal a posição do tubo de aço, e fez furo no lugar errado, como vocês podem ver aí embaixo (aff!…).

Ele até colocou uma massa corrida pra ‘ disfarçar’, mas, sabe como é. Apesar de tudo mais estar perfeito, nós só conseguimos enxergar o defeito pavoroso!!!

Resultado? Como eu sempre digo, precisamos encontrar formas de trabalhar com o que temos, e tentar usar os problemas ao nosso favor. Depois de quebrar bastante a cabeça, resolvi usar daquelas Luzes LED de toque simples (aquelas que funcionam à pilha, vendidas por R$5 cada uma na Lojas Americanas?) para fazer uma brincadeira. Arrisquei, e não é que o resultado ficou super legal?!

Com uma iluminaçãozinha, tudo fica mais bonito, não é?! 🙂

Bem, pra terminar uma foto da prateleira de cima (que está funcionando como porta cristais etc.), que manteve o detalhe do tubo em aço inox, pra mostrar bem como ficaram os spots:

É um pequeno detalhe, mas que foi a solução de um probleminha chato. E assim nós vamos caminhando, encarando os problemas, um de cada vez, e torcendo para que o próximo não seja tão difícil de resolver.

Porque problemas sempre temos, mas vamos aqui tentar acreditar que eles podem trazer algo de bom no fim das contas. Tentar, pelo menos!

Abraços,

Thiago S.

Estou no Instagram: @thisardenberg

 

Se você gostou desse post, vai gostar especialmente de:

E também:

Decorando o Banheiro: Quadros, Espelho e Metais

Oi queridos e queridas, como vão?

O post de hoje é completamente dedicado ao banheiro, que estava meio negligenciado, coitado. A única coisa que dava um up era, realmente, o Box e as Pastilhas Espelhadas, que já mostrei aqui. Mas chegou a hora de mudar isso. Na pauta hoje, vou mostrar o espelho, os metais definitivos e os quadros do banheiro.

Para começar, todo banheiro que se preze tem que ter um bom espelho, certo? Pois é. E parece que os espelhões, sem molduras, estão cada vez mais sendo usados nos banheiros. É isso que se vê nas revistas e nos blogs de decoração, em grande parte. Talvez isso esteja acontecendo porque os banheiros estão menores, e o espelho dá mais amplitude…. ou talvez seja simplesmente porque o espelhão é muito bonito! 😉

Bem, vamos ver o resultado?

Taí o grandão! Decidi que o espelho deveria ocupar todo o espaço acima da pia, respeitando a largura da mesma. Vocês não fazem ideia de quanto o banheiro parece maior com um espelho assim…! Ainda mais considerando que o espelho é a primeira coisa que alguém vê quando entra no banheiro, então ter essa impressão é bem positivo. Fiquei bastante satisfeito com o resultado.

Agora, vamos para os metais usados no banheiro.

Vou confessar que não fazia ideia de que metais de banheiro eram tão caros! Não estava esperando gastar tanto quanto gastei com isso. Após dar uma pesquisada por preços, me decidi pelos modelos da Moldenox, que são bem bonitos e contemporâneos, mas tem um preço um pouco mais “aceitável” em comparação com outras marcas do mesmo padrão.

Esse é o porta-toalhas duplo…

Legal, né? Toda a linha segue esse padrão, como podem ver com o porta papel-higiênico:

…o cabide simples, funcionando como porta toalhas de rosto…

… e o que mais gosto, as prateleiras de vidro com detalhes em inox.

Percebam que, como elas estão bem coladas no espelhão, elas dobram de tamanho!

A torneira da pia é a única que não é da Moldenox; eu comprei uma da Deca,

Por fim, uma vez que optei por não colocar o espelho no comprimento todo do banheiro (passando por cima do vaso sanitário, como também tenho visto ocasionalmente), o espaço acima do vaso acabou ficando vazio, o que não me agradou.

Então, o que decidi fazer? Quadros, quadros! Amo quadros!! (Já deu pra perceber, né? , né?? , né???  rsrs)

Mas não queria aqueles típicos quadros de banheiro (quadrinhos bucólicos com banheiras, pias, etc.). Nada contra, simplesmente não é meu estilo. Queria algo para o banheiro que eu sentisse que era agradável o suficiente para colocar na sala, ou no meu quarto. E, depois de muito, pesquisar, eis o resultado….

Olha, os 2 quadros juntos custaram menos que o pequeno cabide simples, por exemplo, mas eu achei que a composição foi “A” coisa que definiu meu banheiro! Eu achei o resultado bem interessante.

No detalhe, os quadros da composição:

E então é isso! O banheiro estava mesmo precisando de um pouco de atenção. Os metais são bonitos, mas principalmente, funcionais. Fazem muita falta no dia-a-dia. Já estava cheio daquelas coisas “provisórias”, “quebra-galhos”, que acabam ficando um, dois, três, seis meses…. e se deixarmos, fica pra sempre, sabem como é, né? 😉

Abraços,

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de: