Reforma do Sofá: Em busca do estofado perfeito

Há quase 5 anos, eu comprava meu sonhado sofá retrátil com chaise dupla. Ainda hoje ele está em forma, continua sendo super confortável, mas o estofado de fato já sofreu com os inevitáveis efeitos do tempo (e das muitas festas, reuniõezinhas, afinal, acidentes acontecem).

Assim que eu comprei o sofá, mandei impermeabilizá-lo. Fundamental. E, duas outras vezes nesse meio tempo, mandei lavá-lo à seco, o que deu uma melhorada na estética. Mas, ainda assim, eu sabia que já estava na hora de trocar o estofado, e vou explicar o porquê.

Em primeiro lugar, nem cogitei trocar de sofá, pois o que tenho atualmente atende muito bem as necessidades da sala – em termos de espaço (ele tem exatamente a medida da parede onde fica, parece que foi feito sob medida – só parece!) e funcionalidade. Só precisávamos mesmo tratar a questão estética.

O sofá era revestido em suede, esse material aqui:

sofa-suede

Sofá em suede

Eu gostei bastante do suede, na verdade – ele não é tão difícil de limpar, e a sensação ao toque é muito boa, é super macio. Porém, com o tempo, mesmo sendo impermeabilizado e com o cuidado de tentar limpar quaisquer ‘acidentes’ imediatamente, o suede foi apresentando várias manchas, como essas abaixo.

mancha-sofa

 

Então, eu resolvi tentar, dessa vez, outro material. Não cogitei estofados naturais como o algodão ou linho, pois ainda que eles sejam ótimos ao toque e muito bonitos (ver fotos abaixo), em compensação, são fáceis de sujar e difíceis de limpar.

sofá-algodão

Sofá em algodão natural

 

sofá linho

Sofá em linho natural

 

Uma coisa que eu aprendi a prezar, na prática, é que a gente precisa ter um foco sempre no dia-a-dia para evitar dor de cabeça. Não basta ser só bonito na vitrine. Tem que ser prático e funcional. E afinal, a gente consegue achar muita coisa que alia a estética à funcionalidade, então, por que não?

Bem, eliminados os tecidos naturais, o que me restaram foram os sintéticos, novamente, como o suede. Pesquisei sobre o assunto e tomei algumas decisões:

  • não poderia de forma alguma usar algo como couro (fosse natural ou ecológico/sintético), já que moro em um lugar onde o verão é muito quente e tornaria-se extremamente desconfortável. Se eu revestisse meu sofá com esse material, ele ficaria mais ou menos assim:
sofa-couro

Sofá em couro natural

Até acho esteticamente interessante, mas a questão do dia-a-dia precisa ser considerada e priorizada, como disse.

  • o chenille foi eliminado principalmente pois sua manutenção é também complicada, tanto quanto ou ainda mais que o suede, uma vez que tem muitos vincos que podem acabar acumulando resíduos e/ou poeira;
sofa-chenille

Sofá em chenille

Foi então que me deparei, num dos catálogos do estofador, com esse tecido que achei super interessante: o linho sintético, em poliéster.

linho-sintetico

Procurei saber mais sobre esse tecido e li uma reportagem em que as decoradoras Adriana Agostinho e Claudia Schneider indicam “os tecidos que sejam mais duráveis e que mantenham o sofá mais alinhado, como o linho sintético. (…) Uma vez impermeabilizados, os linhos sintéticos podem ser limpos com bastante facilidade, apenas com um pano úmido”.

Era exatamente o que eu estava procurando. Decidido o tecido, só me perguntei em relação à cor. As possibilidades finalistas eram: cinza, marrom claro e marrom escuro.

linho-sintetico-poliester-sofa

O cinza seria algo bem diferente na sala, entretanto, dos três modelos, foi o que me pareceu menos atraente esteticamente no catálogo, nesse material. O bege claro eu achei bem bonito, mas eu achei que seria bem mais difícil disfarçar quaisquer marcas eventuais com um tecido tão claro. O marrom, que era meu preferido, tinha como “contra” o fato de que era o mais parecido com a cor do meu sofá antigo:

linho-sintetico-e-suede

O tecido em linho sintético sobre o sofá antigo, em suede – cor parecida, mas textura completamente diferente

Ao mesmo tempo, era de fato o que mais combinava com toda a nova paleta de cor da sala do apartamento. E, como vocês podem ver pela foto, o tecido é bem diferente do suede em relação à textura.

Quando vi o sofá finalizado, fiquei super satisfeito com o resultado!

Primeiro, vamos ver o sofá sozinho:

sofa-linho-sintetico

Notem que o estofado novo ficou super bem alinhado com a estrutura do sofá, dando um acabamento elegante! E agora, o sofá já com a decoração da sala…

sala-decorada-sofa-linho

Realmente parece outro sofá! Para conservá-lo melhor, ainda adotei mantas (que, usadas nos braços, evitam quaisquer marcas) que não só protegem o sofá como também podem compor a decoração…

manta-sofa-algodao

Manta em 100% algodão.

E outro recurso fundamental é a impermeabilização! Mostrei o processo sendo feito no Instagram do blog:

Serviço fundamental sendo realizado aqui! Parece mágica, mas é só impermeabilização mesmo! 😂 Em breve tem mais novidade no blog…

A post shared by a saga do apartamento (@asagadoapartamento) on

Dica: a impermeabilização deve ser feita assim que o estofado for trocado, ou assim que o sofá novo for comprado. Sofás antigos precisam ser lavados antes da impermeabilização ser feita, de outra forma, você estará literalmente ‘grudando’ a sujeira no sofá! Ninguém quer isso, né?

Bem, amigos, é isso! Agora que já reformei a varanda e o sofá, meu olhar se volta para um outro ambiente que quero reformar antes de sossegar de novo durante um tempo! rsrs Ou seja, em breve tem mais novidades por aqui! Enquanto isso, não esqueçam de seguir o @asagadoapartamento no Instagram!

Abraços,

Thiago S.

 

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Sofá Retrátil com Chaise

Anúncios

6 comentários em “Reforma do Sofá: Em busca do estofado perfeito

  1. Pingback: Sofá Retrátil com Chaise | a saga do apartamento

  2. Olá Thiago, tudo bem?
    Peguei as minhas chaves um pouco depois de vc, então acompanho a sua saga desde o início. Adoro o blog e seu ap tá lindo.
    Estou procurando um estofador do rio pro meu sofá e ainda não encontrei nenhum com boas referências. Poderia me passar o seu?
    Grande bju.

  3. Oi Thiago! adoro o blog, acompanho desde o 1º post!
    Trabalho há 7 anos com reforma de estofados, a opção do couro natural com certeza seria a melhor, uma vez que o couro não esquenta e nem esfria, alem de ser um material extremamente nobre. Nunca deu certo pra mim trabalhar com este linho sintético, normalmente trabalho com um misto de linho e algodão já impermeabilizado de fábrica, nunca recomendo mandar impermeabilizar, pois pode ajudar a manchar mais rápido o tecido. Espero que tenha sorte com o material que escolheu, pro estofador é a opção mais em conta, porém a durabilidade é menor pro cliente. Espero que dê certo pra vc!!!
    bjos

    • Oi Bruna, obrigado por acompanhar o blog 😉 Realmente só não coloquei o couro por causa do desconforto em relação à quando está muito quente, a gente fica grudando no sofá, acho bem desagradável! O sofá da minha mãe é em couro natural, muito bonito, mas sabia que não dava pra mim que gosto de ficar esparramado em cima dele! rs Depois de um tempo de uso, eu falo novamente sobre minha experiência com esse material, por enquanto está tudo ok! Bj e bom fim de ano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s