Canecas na Decoração | Sorteio: Caneca lousa decorativa! (Finalizado)

Faz tempo que as canecas já se tornaram verdadeiros itens de colecionador: lembranças de viagens, boas ideias para presentes, e até parte da decoração – seja numa estante, ou até no jardim!

Canecas com flores estão particularmente in no momento. Ficam ótimas tanto fora de casa quanto no interior.

Os usos são muitos. Tem gente que traz uma de cada lugar que conhece!

… o que é fantástico. Só não faço isso porque não teria lugar pra colocar tanta caneca! rsrs Mas amo!

Bem, no post de hoje, O A saga do Apartamento traz, em parceria com o site As Canecas Mais Legais do Mundoo sorteio de uma caneca lousa decorativa lindíssima!

Para ganhar a caneca lousa, é simples:

Pronto! É isso! Você já estará concorrendo. Só aguardar o resultado, previsto para o dia 15 de Maio; você pode se inscrever até às 23h59 do dia 14/05. O As Canecas Mais Legais do Mundo enviará a caneca sem custos para o vencedor ou vencedora.

Boa sorte!!!!

 

******Sorteio Finalizado************

 

 

Anúncios

Redecorando a Sala – parte 3: Nova Bancada Americana

Quando introduzi essa série de posts sobre esse processo de redecoração da sala, disse que essa vontade de mudança pode ocorrer por diversos motivos – sejam eles relacionados à funcionalidade (“encontrei um uso melhor para isso”), à estética (“acho que isso traria mais destaque ao ambiente”), ou simplesmente pela nossa vontade inerente de mudar

Enquanto os dois primeiros posts da série estão mais relacionados à questão estética (pintura nova das paredes, molduras de teto), o assunto de hoje se encaixa principalmente dentro do âmbito da funcionalidade, mas, claro!, a gente pode sempre tentar unir o útil ao agradável (literalmente, nesse caso rs) e tentar aprimorar também a parte estética, no que pensamos em algo mais funcional.

Bem: gostava muito da minha bancada americana antiga, que funcionava como transição entre a sala e a cozinha. Pra quem não lembra, esse aqui é o ANTES:

bancada cozinha americana

Como vocês podem ver, a bancada era extremamente clean e discreta. Ficaria com ela por mais tempo, não fosse um pequeno grande porém: Eu. Preciso. Otimizar. Espaço (mantra dos apartamentos pequenos). Minha cozinha é pequena, e, ainda que meus móveis tenham sido planejados para tentar maximizar esse espaço,  mesmo assim… sinto falta de espaço.

Então resolvi que aproveitaria o espaço da bancada para incluir, embaixo dela, um armário. O espaço era precioso: Com 1 metro de comprimento, 1,20 de altura e 50 cm de profundidade, o armário teria espaço para guardar muita coisa. Já estava decidido, então só faltavam os detalhes de acabamento: queria algo que fugisse do tampo branco, pois já que era pra mudar, queria mudar mesmo.

Vou mostrar então algumas fotos e fazendo os comentários!

2

bancada cozinha americana madeira linheiro grigio

Como vocês podem ver – é linda! 😉 – o acabamento escolhido, chamado Linheiro Grigio (que é facilmente encontrada no catálogo de qualquer loja ou profissional que trabalha com madeira), é um tom acinzentado e todo riscado de madeira que remete muito ao piso laminado da sala (o Carvalho Dover). O fundo do armário, branco, faz com que a bancada continue em harmonia com a prateleira superior, que se manteve no lugar.

Note também, nas fotos acima, que o armário interno é 10 cm menos profundo que o tampo (o tampo da bancada tem 50cm, o armário 40cm), deixando mais confortável sentar ali.

passa prato linheiro grigio madeira

Como disse, sendo o tom bastante próximo ao do piso, a bancada funciona bem como transição entre os ambientes.

Outra coisa que podemos perceber pela foto é que a profundidade do tampo é maior que o da bancada branca original (que tinha apenas 30cm). Essa área de trabalho um pouco maior faz uma boa diferença!

bancada armario cozinha americana

A divisão interna dos armários foi pensada para maximizar todos os espaços. O armário tem portas de correr (fundamental para espaços pequenos) e, dentro dele, 1 prateleira que separa os 2 vãos de 1 metro de comprimento cada. A profundidade interna do armário é de 40 cm (o que dá pra organizar os itens em fileiras). Acima do armário, podem perceber que há outro vão, de apenas 15 cm de altura, bastante funcional: pode servir para armazenar temperos, panos de prato, garrafas de vinho, enfim, o que você quiser.

Opaaa, tem novidade no blog: Terceira parte da série "Redecorando a Sala"! 😁

A post shared by a saga do apartamento (@asagadoapartamento) on

Para finalizar, mandei fazer numa vidraçaria um vidro nas mesmas dimensões do tampo da bancada. Isso foi por experiência própria: ali, do lado da cozinha, acabamos sempre colocando algo molhado. Para proteger o tampo, quis colocar um vidro transparente, que valorizasse a beleza do padrão de madeira escolhido.

Na verdade, se repararem bem, o vidro é um pouquinho de nada menor que o tampo:

11

… o que foi pensado para prevenir qualquer tipo de acidente. A aderência do vidro à madeira se dá pelos silicones que você também pode ver na foto acima. E, claro, vidro é bem prático de limpar, o que o torna não só esteticamente agradável como também funcional.

Bem, pessoal, é isso! Fiquei super feliz com minha bancada nova, principalmente por sua funcionalidade, mas acabei amando o visual novo que ela conferiu à sala/cozinha.

cozinha americana moderna bancada madeira e vidro

Abraços e até breve!

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Quando cada espacinho importa: Sapateira Vertical com Espelho

Vários posts aqui do blog – inclusive o último – falam sobre a importância da utilização vertical do espaço, especialmente em lares onde a área útil não é tão grande. Já lidei com isso em relação à floreira da varanda, à adega, à estante do meu quarto (que vai do chão até o teto!), e agora, vou falar sobre um outro espaço ‘ocioso’ no apartamento que ganhou uma utilidade incrível com o uso de uma simples sapateira.

***

Sapatos… não só só vocês, mulheres, que sofrem desse mal! Talvez justamente por nunca ter dado a devida importância para o armazenamento dos meus sapatos e tênis, não importa o quanto eu tentasse os manter sob controle, guardados, sempre havia pelo menos dois pares rebeldes perdidos pela casa. Como eu não moro sozinho, às vezes a minha impressão era de que eles se multiplicavam feito Gremlims. Até que uma hora me deu um estalo, e eu resolvi acabar com aquilo.

No meu quarto, havia um espacinho entre o armário e a estante onde ficam os livros e filmes, cuja função era abrigar o banco/escada que servia para alcançar as partes mais altas da estante. Como vocês podem ver na foto abaixo, a estante é muito alta, chegando no teto do quarto; e observem também o espaço a que estou me referindo entre o armário e ela.

estante alta para livros

Pois então, acima do banco/escada, aquela parede era ociosa, e imaginei que ali poderia ser o local perfeito para colocar uma sapateira vertical. Fui atrás de algo que atendesse minhas necessidades específicas: precisava ficar presa na parede (o banco/escada ainda precisava ficar ali!), precisava ter a largura exata (ou de preferência um pouco menor) daquele espaço ali (que era de pouco menos de 70 cm), e a altura não deveria ultrapassar a do armário, para ficar esteticamente agradável.

Após algumas buscas, achei exatamente o que estava procurando com uma sapateira da marca Politorno, a Itabuna. É um móvel pronto, bonito, e que parece ter uma qualidade bem razoável (no futuro, se necessário, eu volto pra falar sobre a qualidade e durabilidade do produto). E o melhor… não é caro! Vamos ver como ficou?

sapateira politorno itabuna com espelho

Adorei o fato de que ela não só se encaixou perfeitamente no espaço previsto, como também combinou com o roupeiro (é branca e com espelho), aumentando ainda mais a sensação de amplitude no quarto. Na verdade, você mal percebe que tem uma sapateira ali.

Agora vamos ver o móvel aberto…

sapateira vertical

Como vocês podem ver, são 6 nichos, onde cabem 2 pares de sapato em cada. É bastante coisa. E, na verdade, esse móvel serve não só como sapateira, mas pode ser facilmente usado com outros fins, em praticamente qualquer lugar da casa. Fica a dica, hein! (só evitaria colocar coisas muito pesadas, como livros, por exemplo).

Quando se não tem muito espaço, cada espaço vale ouro! 🙂

Pra finalizar, eu ainda coloquei um cordão de luzes em volta da sapateira, que dá um ar bem cool e ainda serve como abajur à noite!

meu "abajur" personalizado 😍

A post shared by ⚜️ Thiago (@thisardenberg) on

E antes que eu me esqueça, o blog completou 3 anos de idade! Continuo por aqui, e não pretendo ir embora tão cedo! Claro, posto com menos frequência que antes, mas nossa casa é um organismo vivo, e sempre pede por coisas novas. Acho que ainda temos muito o que discutir por aqui na saga do apartamento! 🙂

Abraços e até a próxima!

Thiago S.

 

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Adega vertical

Pouco espaço, muitas necessidades. Grande dilema que faz parte da realidade de muitos de nós. Gosto de pensar assim: a falta de espaço força você a ser… criativo.

Eu queria muito ter uma adega. Primeiro porque, óbvio, sempre tenho uma quantidade razoável de garrafas de vinho em casa e seria legal ter um lugar específico para elas. Segundo porque… elas são lindas, não são?! 🙂

Quando pensamos em adegas, pensamos basicamente em dois tipos: aquelas tradicionais de carvalho e/ou madeira, em forma de barril; e as climatizadas, mais modernas e sofisticadas:

adegas

As primeiras tem seu charme: remetem ao armazenamento antigo de vinhos em grandes barris de carvalho para seu amadurecimento, e dão um ar bem rústico ao ambiente. Entretanto, essa opção simplesmente não combinaria numa sala com traços mais contemporâneos como a minha, por exemplo (e realmente não há outro lugar onde ela pudesse ficar). As últimas, posso dizer que seriam ‘ideais’ para o armazenamento de garrafas de vinho mais caras, especialmente aquelas que vão ficar armazenadas por um tempo maior: alguns meses, talvez até anos. Vinhos de colecionadores, vinhos que evoluirão com o tempo. Como faço uso do vinho de forma mais ‘despretensiosa’, no dia-a-dia, e para socializar com amigos em jantares informais, não vejo grande necessidade da adega climatizada (pelo menos ainda… quem sabe no futuro? quando tiver um apartamento maior? quando estiver comprando garrafas de 200 reais? rs). Outro fator a ser considerado, contra essa opção, é o consumo de energia (é preciso pesquisar bem qual modelo comprar, e qual seria o impacto dele na sua conta de luz).

Bem, tanto uma quanto a outra opção não me satisfazem plenamente e, mesmo que fosse o caso, eu simplesmente não *teria* onde colocar essas adegas. Em cima do rack? Ficaria estranho. Por onde olhava, ficaria estranho, estranho, estranho.

Então…. o que fazer?

Aí, vendo um daqueles programas americanos de renovação de espaços, vi uma ideia interessante: as garrafas eram dispostas em módulos em uma parede, fazendo parte da decoração. Depois, fui procurar na internet os tais módulos e encontrei:

adega modular parede

Aí você vai colocando quantos forem necessários, dá pra fazer uma parede inteira disso e fica bem legal esteticamente. Em minhas pesquisas, vi também muitos outros modelos de adegas verticais, até que encontrei uma bem simples, mas que dava um efeito muito legal. Vamos ver?

IMG_88741

 

Adorei! Notem que a adega é super clean, não pesa no ambiente; o destaque acaba ficando para as garrafas em si, que viram parte da decoração. E o legal, também, é que aqui ficou super bem casado com os adesivos da cozinha, integrando a sala e a cozinha tematicamente.

E o melhor, sabe onde a adega está? Atrás da porta de entrada, num espacinho que, antes, era completamente morto!

IMG_88751

E, agora, a impressão que fica era que aquele espaço estava esperando por essa adega esse tempo todo (e é essa justamente a intenção por trás de todo problema que eu encontrei aqui no apê até hoje… fazer parecer que era intencional, desde sempre!). Até pensei em colocar duas, uma em cima da outra, mas achei que seria exagerado, pois eu não sou ‘colecionador’ de vinhos, eu compro para beber mesmo, como já disse, no dia a dia. Um tá bom! A adega no detalhe:

IMG_8871

 

Taí, uma solução tão simples, que fez uma grande diferença aqui!

E ah — pra quem estiver interessado, eu comprei a adega através do Mercado Livre; é só procurar por “adega vertical” que vocês vão encontrar essa e outras opções de adegas de parede.

Por hoje é só, pessoal! Gostaram?

Abraços,

Thiago.

 

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Repaginando a Varanda com Banquetas em Junco Sintético

Depois que vi a floreira para a varanda finalmente no seu lugar, vi que aquele espaço ali tinha potencial para virar xodó. Faltava algo. Mas o quê? Afinal, nada mais cabia ali. Às vezes, decorar um espaço com medidas tão restritas é ainda mais difícil que um ambiente grande…

Bem, já mostrei anteriormente aqui no blog que escolhi uma mesa alta e duas banquetas com tampo em mosaico para decorar a varanda.

Com o tempo, entretanto, algumas das pastilhas das banquetas se descolaram. Até entrei em contato com o vendedor, que prontamente enviou todo o material necessário para eu fazer o reparo; mas, alguns meses depois, novamente elas voltaram a soltar-se. Foi aí que decidi que talvez isso fosse uma ‘oportunidade’ para trocar as banquetas, que eram na verdade um pouco desconfortáveis (bonitas, mas o tampo em MDF revestido de pastilhas significava que eram bem duras).

Então fui atrás de outros modelos de banquetas. Dessa vez, queria levar em consideração algo que tivesse a ver com o tom de madeira da floreira, para fazer uma composição mais homogênea, já que o espaço é pequeno. Foi aí que encontrei as banquetas de junco sintético.

O junco sintético é uma fibra sintética que assemelha-se bastante à madeira natural, mas pode ser usada em ambientes externos pois não estraga quando pega chuva e não resseca quando pega sol. O junco é usado para fazer uma extensa gama de móveis como podemos ver abaixo, em alguns exemplos da internet:

moveis em junco sintético

Bem, fui atrás então da minha banqueta alta de junco e aí encontrei, mais uma vez no Mercado Livre, os Móveis da Porto Ferreira, que tinham boas avaliações e eram bem bonitos.

Algumas semanas depois de ter comprado (os móveis sáo feitos sob encomenda, com o tom de madeira que você deseja, a cor do estofado que você quer), as banquetas chegaram… e lindas que só!

banqueta junco porto ferreira

A banqueta é muito confortável e dá um ar ainda mais aconchegante à varanda.

Por fim, decidi que faltava ainda uma nova disposição dos móveis: levei a mesa e as banquetas novas para o lado da floreira, e dessa forma fiz um cantinho que realmente se tornou um dos meus lugares preferidos no apartamento.

varanda pequena decorada

Tomar um café ali numa tardinha amena, não há nada mais gostoso!

E nos dias de festa, eu ainda inventei algo pra dar uma clima diferente. Ao invés de utilizar a iluminação da varanda, coloquei um abajur (sem a cúpula) discretamente atrás da mesa, de forma que a luz viesse de baixo pra cima, iluminando também a floreira de forma inusitada.

O flash da câmera tira um pouco o efeito, mas dá pra ter uma ideia:

varanda aconchegante

IMG_5394

E pronto! Ambiente completamente renovado, apenas trocando as banquetas e mudando a disposição das coisas ali. Com um pouquinho de paciência e criatividade, a gente faz milagre! 🙂

Abraços e até a próxima, querid@s!

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

A saga continua em 2013

Olá queridos(as) leitores(as)! Como estão?!

2013 chegou e eu espero que vocês tenham tido um excelente início de ano. O meu tem sido bastante movimentado! Como eu disse no meu último post, estava para defender minha dissertação de Mestrado. Defendi, e foi maravilhoso! Agora quem vos fala é um “Mestre” (hahaha)! Obrigado pelos votos de sucesso. Logo depois fui viajar, curtir um descanso finalmente, então dei uma sumida mesmo. Estou de volta.

Esse post é só pra sinalizar que vou ler as mensagens atrasadas e ir respondendo aos poucos. Fiquei feliz em ver que vocês continuaram em peso visitando e participando do blog, temos tido mais de 2.500 visitas por dia, isso é fantástico!!!

Outra coisa: A saga vai continuar. Claro que talvez com uma frequência menor, afinal, o apartamento já está praticamente pronto, mas ainda faltam importantes detalhes que vou revelar em breve. E fora as “surpresas” desagradáveis que temos que lidar…

Uma coisa que pretendo iniciar no blog esse ano, que acredito que vai ser de muita utilidade para todos, vai ser revisitar as minhas escolhas (de piso, de acabamentos, de eletros…) criticamente, dizendo se valeu a pena ou não, se eu faria de novo e por quê. Afinal, só podemos de fato recomendar algo depois de um certo tempo de uso. Isso vai ser interessante!

Então nos vemos em breve… Que venha 2013.

Beijos e abraços,
Thiago S.

A novela dos móveis planejados, parte 3: Descaso da New/Unicasa

Caros leitores,

infelizmente, mais uma vez estou aqui para falar da novela dos móveis planejados. Sim, podem acreditar: ainda não tenho os móveis que comprei na New Móveis há mais de um ano.

Bem, antes de mais nada, deixe-me contar-lhes o que aconteceu entre o segundo post (do mês de maio, e o de hoje.

Paramos logo depois que a loja onde comprei tinha fechado suas portas, deixando todos seus clientes sem saber o que fazer. Nessa altura, já tinha estado em contato (desde fevereiro) com o SAC da Rede New e também da Unicasa (fábrica responsável pelas rede New, Favorita e Dellano), que também não tinham se mostrado úteis de fato para mim.

Em maio, enviei um e-mail para a New/Unicasa, pedindo por algum tipo de posicionamento. Eles estavam, na época, obrigando os clientes/vítimas do loja onde comprei a abrirem um B.O. na polícia contra os próprios donos da franquia.

Ora, mais uma vez, é importante salientar que eu comprei NA LOJA NEW, e não de pessoas físicas. Eu não quero nem preciso ir na polícia, esse é um problema entre LOJA/CLIENTE e deve ser tratado assim. No que eu, até mesmo por conselho de meu advogado, me recusei a fazê-lo, a rede ficou atravancando uma solução. O meu e-mail:

“Bom dia,
Escrevo com grande decepção pois acreditei que, após ter sido vítima da New Móveis de N. Iguaçu, poderia contar com a rede New/Unicasa para finalmente ter a entrega dos móveis. Infelizmente não é isso que está acontecendo. 
 
Acredito que seu jurídico possa até indicar ou sugerir que os clientes vão até a polícia fazer um R.O. [Relatório de Ocorrência] contra as pessoas físicas responsáveis pela loja, mas obrigar? Eu fui aconselhado a não fazer o R.O., e os motivos me parecem mais que justificados. E então? A New/ Unicasa vai simplesmente cruzar os braços para mim, tomando assim a mesma atitude que os “estelionatários” (como vocês afirmam) tomaram? Eu comprei com a NEW, me foi vendida a marca da New, não foi só na ‘loja física’; então, não são só eles os responsáveis. Toda a documentação de compra já foi passada pra vocês.
 
A Unicasa assumir a responsabilidade que tem com os clientes dessa loja de N. Iguaçu mostra credibilidade; mas, após quase um ano de demora, não chega nem de perto a ser “justo” apenas o fato de se rever projeto, entregar e montar esses móveis. Isso é o essencial. Fui e continuo sendo lesado pela New todos os dias, e não pode-se tirar o direito do consumidor de buscar alguma forma mínima de compensação.

Era como se a New/Unicasa estivesse querendo se exonerar da responsabilidade que tinham comigo, passando-a para as pessoas físicas.

Enfim, após semanas sem resposta, recebi um contato telefônico, dia 1 de junho,  pedindo para eu mandar novamente os documentos, que “não haviam sido recebidos”. Obviamente isso não é verdade, pois após eu enviar os documentos recebi uma mensagem informando até o protocolo. Mas enfim, mandei novamente. Inclusive, chegaram ao cúmulo de me pedir um extrato da minha conta corrente (!) provando que o dinheiro havia saído da minha conta. Ora, onde já se viu?! Já havia mandado o RECIBO provando que meu pagamento havia sido à vista, da própria loja, e surgiram com essa– Claro que eles só estavam querendo dificultar ainda mais, atravancar o processo.

2 semanas após isso, e ainda sem resposta, liguei para eles, e reiterei o teor da ligação mandando um e-mail com um ultimato:

“Boa tarde,

Conforme discutido em contato telefônico com a atendente Laís do SAC, informo que estarei esperando uma resposta definitiva sobre a possibilidade de atendimento por parte da New/Unicasa até amanhã, quinta-feira, dia 14/06.
Todos os documentos solicitados já foram enviados (inclusive os recibos de pagamento à vista carimbados pela New), salvo o B.O., que não fiz, como já expliquei diversas vezes, por conselho do meu advogado.
Uma falta de resposta até amanhã será encarada como desistência por parte da rede New Móveis/ Unicasa em prosseguir com meu atendimento.
Já em caso de afirmativa, aguardo contato imediato com o Tiago, supervisor comercial das lojas do Rio, para iniciar prontamente o atendimento.
Afinal, esse mês marca UM ANO da compra na loja New de Nova Iguaçu.”

Houve resposta? Claro que não.

Então esse foi meu contato final com eles:

“Infelizmente, como já imaginava, não recebi qualquer tipo de notificação ou resposta em relação ao contato telefônico de ontem e e-mail que também mandei ontem.

Entrei em contato originalmente com o SAC da NEW / UNICASA EM 23/FEVEREIRO/2012, ou seja, vocês tiveram tempo mais do que suficiente para providenciar meu atendimento, mas só fizeram me enrolar, EXATAMENTE COMO FIZERA ANTES A NEW DE NOVA IGUAÇU QUE FECHOU.
 
Vocês falharam e muito comigo e para mim, chega. É bom ter a certeza, finalmente, de que não há interesse qualquer da parte de vocês em resolver meu caso.
Se vocês não são capazes de resolver o problema, conto que a justiça seja. E todos os milhares de leitores do blog ‘A saga do apartamento’ [mais de 3.000 acessos por dia…] também terão conhecimento (já estão tendo) de todos os desdobramentos desse caso seríssimo de descaso generalizado”
_
Depois disso, desse dia, essa loja pra mim morreu. Como disse, dei inúmeras chances para eles resolverem o problema, mas todas foram em vão.  Então resolvi tomar as rédeas da situação e deixar de ficar esperando por um milagre. Um ano depois, eu tenho absoluto direito.
  _
Agora, só a justiça…, mas podem ter certeza: Alguém VAI se responsabilizar por tudo isso. Eu vou até o fim, não importa quanto tempo demore.
_
_
E que fique claro — não estou falando mais *SÓ* da loja específica onde comprei. A REDE NEW TEVE O MESMO COMPORTAMENTO DE DESCASO COMIGO QUE A LOJA TEVE. Como disse, foram meses tentando resolver a situação sem sucesso, inúmeros contatos telefônicos improdutivos, que só faziam perder meu tempo.
_
Então, caros leitores, se decidirem comprar com eles por qualquer que seja o motivo, não diga que não foram avisados!
_
_
Até breve,
Thiago S.
***********
EDITADO/ RESOLUÇÃO: O caso foi à julgamento e a UNICASA foi condenada a me pagar todo o valor investido acrescido de juros e mais os danos morais que me causaram. A justiça é lenta, verdade, mas vem. Fica o recado: não deixem, NUNCA, de correr atrás de seus direitos!!! Essas empresas merecem tratar-nos com respeito e se não fizermos isso, nada nunca mudará.
*******
Se você gostou desse post: