Reforma da Varanda, parte 2: Criando um pedaço de Nova Orleans

Sabe quando você conhece uma cidade, se apaixona completamente por ela, e volta pra casa com aquele sentimento de querer trazer ela contigo na bagagem? Então…

No início do ano, escrevi um post falando um pouco sobre a arquitetura e o estilo de decoração de um lugar super especial pra mim: Nova Orleans,  no Sul dos EUA. Em janeiro, visitei a cidade fisicamente pela segunda vez (digo fisicamente pois já tinha a visitado inúmeras outras vezes através do cinema e da literatura, e sabia que iria me apaixonar quando fosse lá) e voltei absolutamente inspirado e cheio das ideias. Durante o primeiro semestre, essas ideias foram maturando, e chegou a hora de colocá-las em prática.

Decidi remodelar minha varanda completamente ao estilo de Nova Orleans, criando naquele espacinho algo que traduzisse um pouco das coisas que tanto amo na cidade. Na verdade, esse processo já começou com o post anterior, onde falei sobre o porcelanato em estilo de madeira de demolição que passou a revestir as paredes da varanda.

ceusa-extint-vecchio

O Extint Vecchio é um porcelanato em estilo bastante rústico, até mesmo ao toque. E como Nova Orleans tem tremendo apreço por sua história, muitos lugares tem marcas claras da ação do tempo. Só que ao invés de cobrí-las, muitos cantos de Nova Orleans exibem essas marcas com orgulho.

il_340x270.953627942_4v7g

A flor de lis – em madeira de demolição – é o símbolo da cidade.

Isso acontece não só em espaços residenciais como também em espaços públicos, em restaurantes ou galerias de arte; seja na mobília interna, ou nos jardins do lado de fora.

Sem título

O restaurante Compère Lapin, e seu estilo rústico contemporâneo com paredes de tijolinhos aparentes.

Daí a escolha pela rusticidade do novo revestimento da varanda, que me deixou extremamente feliz! O resultado foi além do esperado e realmente foi a base para a repaginada da varanda.

A própria configuração do jardim vertical, que já tinha modificado, também é um reflexo disso:

New-Orleans-1-marshall-0309-xlg

Os jardins de Nova Orleans são espaços onde a natureza se expressa, não necessariamente ordenadamente. Não há a necessidade de uma simetria precisa– oposto polar de jardins japoneses, por exemplo.

Step right into spring the New Orleans way. Photo: @firewolf.e #followyournola

A photo posted by Visit New Orleans (@visitneworleans) on

Essa estética encantadora influenciou muito a forma como vi meu próprio jardim aqui em casa.

Se antes o jardim vertical antes tinha um aspecto bem mais ‘polido‘, ordenado, e as plantinhas ficavam quietinhas em seus cachepôs, desse jeito…

decoracao sacada pequena

agora, elas são bem mais livres, avançam pela floreira, e são também menos efêmeras – algumas dessas plantas já estão comigo há mais de um ano. Duráveis, as trepadeiras já tem ramos com mais de 1 metro de altura! Plantas com florada abundante costumam ser bem menos resistentes, como expliquei anteriormente num post dedicado às plantas que já passaram pelo jardim.

matando a saudade do meu verde! 💚

A photo posted by Thiago S. (@thisardenberg) on

E falando em plantas, resolvi ampliar o jardim, fazendo da varanda inteira um espaço mais verde. Afinal, já deu pra perceber que as sacadas de New Orleans são pura extravagância, né?

Sacada-em-Nova-Orleans

Então, trouxe para o outro canto da varanda, oposto à floreira, uma jardineira suspensa (inspirado em algo como na foto acima, presas às grades) e com o mesmo estilo de linhas ornadas tão presentes nas grades de varandas e portões da cidade:

patio-new-orleans

E o resultado? Algo bem sutil, mas que ecoa claramente tais linhas:

suporte floreira ferro

suporte jardineira

Essa jardineira, com seu suporte em ferro, “fecha” a varanda, de ambos os lados, de verde! A própria escolha da planta também remete às palmeiras que são onipresentes nas ruas da cidade.

O ferro fundido, como vocês podem ter percebido pelas fotos anteriores, é onipresente na arquitetura da cidade:

mistérios da meia noite 👻

A photo posted by Thiago S. (@thisardenberg) on

Então, já pensando numa possível reformulação desse espaço, trouxe de lá mesmo uma flor-de-lis em ferro fundido; ela, claro, como disse no início do post, é o grande símbolo da cidade, e não poderia faltar aqui!

porcelanato ceusa legno extint

Dá um charme todo especial ao espaço da floreira!

Outro detalhe em ferro fundido que incluí no meu espaço – e que é muito presente na decoração de jardins e pátios em Nova Orleans – é a figura de um anjo.

varandas nova orleans

Quantos anjos você consegue contar nessa única varanda? rs

Fui atrás de figuras de anjos em ferro fundido e encontrei a Quinta Dell’Arte, loja carioca especializada em estátuas, esculturas e imagens trabalhadas com ferro fundido e mármore. E assim encontrei meu anjo para ficar centralizado em cima da mesa da varanda:

anjo mesa ferro fundido

Lindíssima a figura, né?! Pedi para que ela fosse pintada nesse tom de ouro velho. Trouxe muito do clima da cidade consigo!

E outros dois outros detalhes que fazem a diferença:

NEW ORLEANS SIGN LAMP POST

Poste colonial e placas de ruas e bairros da cidade

Em todas as ruas do French Quarter, podemos ver postes de luz como esse da foto acima, que dão um ar bem colonial ao bairro. As casas da cidade também fazem uso dessas arandelas nas varandas, e algumas são inclusive iluminadas à gás.

Decidi trocar o plafon que tinha antes na varanda por uma arandela colonial pendente…

arandela-colonial-pendente

… idêntica ao design clássico dos postes de luz das ruas de Nova Orleans! E notaram a plaquinha ali atrás, em cima da floreira? Exatamente como as placas das ruas do French Quarter, é um anúncio de que aquele espacinho ali foi todo pensado como uma homenagem à cidade!

Ah, e a lâmpada escolhida também é um charme à parte. Ela tem filamento de carbono, decorativa por si própria, que dá um clima bem intimista e completamente diferente de uma lâmpada de LED ou fluorescente.

lampada-filamento-carbono

Me lembra um pouco a luz de lampiões, o que faz absoluto sentido dentro da proposta da varanda!

Bem, pessoal, é isso: se antes eu já gostava da minha varandinha, agora eu não consigo passar nem um dia sem dar um pulo nela e aproveitar o espaço um pouquinho. Abro a porta e sou teletransportado para esse mundinho em si – completamente distinto da decoração do resto do apartamento – e que ecoa tão claramente um outro lugar pelo qual eu tenho um tremendo carinho. Mais uma prova de que com inspiração, vontade e criatividade a gente pode transformar quaisquer 3 metros quadrados. Tamanho nunca é desculpa!

Por enquanto é só; mas sabe o que dizem, né? Quando começamos a reformar, é difícil parar. E é exatamente o que está acontecendo, a reforma da varanda acabou mas eu já estou com outras em andamento!!! Em breve tem mais novidade por aqui…🙂

Enquanto isso, não se esqueçam de seguir o blog no Instagram, estou sempre postando novidades e ambientes inspiradores por lá.

Abraços!

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Reforma da Varanda, parte 1: Porcelanato Madeira de Demolição

Olá, queridos e queridas! No post passado, eu compartilhei aqui uma seleção de vários ambientes decorados com o meu acabamento favorito do momento: o porcelanato em estilo de madeira de demolição. Aqui no apartamento, eu decidi usá-lo em um lugar que, há muito tempo, eu penso em reformular: a varanda.

Minha varandinha é meu xodó, é o lugar onde fica meu jardim vertical, onde gosto de tomar um café com calma no fim da tarde, onde consigo apreciar um nascer do sol incrível. É bem pequena, tem pouco mais de 3m2, mas, como já vimos inúmeras vezes aqui no blog, isso não é desculpa para nada!

café no jardim numa manhã cinzenta

A photo posted by a saga do apartamento (@asagadoapartamento) on

Pois bem, já que o lugarzinho é tão querido, eu queria deixá-lo com ainda mais personalidade. E, para isso, eu decidi trocar o revestimento das paredes internas da varanda. Eu já tinha até dado uma solução provisória para isso, colocando adesivos que imitam azulejo hidráulico (foto acima) na parede da floreira, mas eu sabia que, quando houvesse a oportunidade, eu iria trocar o revestimento em definitivo.

Após muitas pesquisas e visitas em lojas de decoração e revestimento, me decidi pelo porcelanato em madeira de demolição pois ele une praticidade e beleza – é extremamente fácil limpar e manter, e ainda é muito bonito – e está de acordo com a identidade que eu pretendo dar à varanda (mais sobre isso em breve…).  Se você está interessado em outros ambientes decorados com este tipo de porcelanato, dê uma olhada no post anterior onde compartilhei algumas das opções interessantes que considerei em minhas pesquisas.

Sem mais delongas, vamos ver então um antes e depois da varanda?! Que saudade desses antes e depois hahaha!

Antes, com o revestimento original da varanda, em monocapa.

revestimento monocapa (2)

A monocapa dava um acabamento super áspero para a superfície (acredito que dê para observar até pela foto), e acaba acumulando sujeira, por ser extremamente porosa.

E agora o depois, com o novo revestimento em porcelanato:

porcelanato madeira rústica (2)

Te contar, fiquei…❤! Ainda hoje me surpreendo com o poder transformador de um bom revestimento. E o melhor: como a área da varanda não é tão grande, o investimento não precisa ser tão alto. O m2 mais barato que encontrei desse porcelanato específico foi por $88,90 (na Chatuba; cheguei a ver por $129,90 na C&C), mas precisei de apenas 4 caixas para revestir as paredes da varanda.

porcelanato ceusa extint vecchio

Eu também revesti o peitoril com o mesmo acabamento:

peitoril porcelanato

Antes, debraçar-se sobre ele era até incômodo porque, como disse, o revestimento original era muito áspero. Agora, o porcelanato, ainda que seja rústico, é bem mais liso e agradável ao toque.

De acordo com as especificações do fabricante, a Ceusa, esse porcelanato retificado pôde ser assentado com junta seca, isso é, as placas podem ficar encostadas uma na outra, sem a necessidade de uma junta mínima. O efeito estético disso é muito legal, pois tem bem menos rejunte (só dão um acabamento final melhor) e parece que são placas bem maiores!

porcelanato ceusa legno extint

 

Mas assegure-se de seguir as especificações do fabricante! Se for o caso de ter uma junta mínima de assentamento, respeite tais orientações!

porcelanato madeira demolição

Bem, o que acharam? Eu amei! Mas posso lhes dizer, esse é só o início da reformulação da varanda, vem mais coisa por aí (depois da varanda teremos outras reformas de outros ambientes) e eu mal posso esperar para vê-la pronta! Que comecem os jogos! E enquanto isso, não deixe de nos seguir no Instagram @asagadoapartamento.

ceusa extint vecchio

Um abraço e até breve!

Thiago S.

 

Se você gostou desse post, também gostará de:

 

Porcelanato estilo Madeira de Demolição

Nosso lar, por ser um claro reflexo de quem o habita (e que transforma um simples espaço físico em um “lar”), está sempre em evolução, já que nós mudamos com o tempo. Então uma vontade de mudança é cíclica, vai e vem, em ondas.
                                                                                                                                                  .
Ano passado, fiz algumas reformas que trouxeram uma dinâmica completamente diferente para o apartamento: reformei completamente a sala, trazendo mais cor através da pintura das paredes, da nova tela como ponto focal na sala, das molduras usadas de diversas formas; coloquei também rodatetos e troquei a bancada americana, com um viés mais funcional. Foram reformas que não tiveram um impacto financeiro enorme, mas com certeza injetaram vida e personalidade nos ambientes; assim como fizeram melhor uso do espaço. Mais que dinheiro, o que importa é sempre uma ideia na cabeça.
                                                                                                                                                .
Esse ano, as ideias são outras. Estou repensando outros ambientes, e tenho pesquisado muitos acabamentos para ver o que tem de novidade no mercado (sempre tem alguma coisa!), as novas tendências, e, claro, filtrando tudo isso pelo meu gosto pessoal e as próprias ideias que tenho para os ambientes.
                                                                                                                                                .
No post de hoje, irei compartilhar algumas das ideias que tive em relação a um dos ambientes que serão reformados, pois já decidi sobre um dos tipos de acabamento: o porcelanato que imita madeira de demolição.
Decortiles Ecovilla Pastilhart
A madeira de demolição original tem um viés sustentável, no que reaproveita a madeira usada na demolição de casas e obras grandes, dando um novo e diferenciado uso às peças. Atualmente, a madeira de demolição tem sido usada como contraste entre o antigo e o moderno em diversos projetos arquitetônicos, resultando em belíssimos trabalhos, com elegância e responsabilidade ecológica.
Porcelanato Ceusa Oliva
A madeira de demolição conserva traços de sua exposição ao tempo, à chuva, ao Sol; ela as exibe com orgulho!
Painted HD Portinari

Mas, claro, nesse post, estamos lidando com porcelanatos que imitam a madeira de demolição – todas as fotos desse post são exemplos – e não ela própria. Uma vez que a madeira de demolição tornou-se objeto de desejo, as fabricantes de porcelanatos passaram a fabricar peças com resultados extremamente parecidos – até ao toque – à madeira de demolição natural.

As vantagens são óbvias: você pode usar o porcelanato em madeira de demolição em ambientes que, tradicionalmente, não são recomendadas as madeiras naturais ou laminados, como a cozinha, o banheiro ou áreas externas; mas, preservando a estética e o estilo conferidas pelas mesmas.

ceramica-provenceacabamentos

Dependendo do quanto você estiver disposto a investir, as opções são muitas, e os preços podem variar bastante. Eu tenho feito muitas pesquisas e já vi preços que vão de R$24,90 o metro quadrado…

PISO-MADEIRA-DEMOLICAO-INCEFRA

… como esse acima da Incefra, em placas de 50×50…

… até preços que passam facilmente da casa dos R$100 o m2 (podendo chegar a quase R$200), como é o caso desse modelo abaixo da Itagres, em placas de 17×103 cm, onde cada peça da caixa tem características próprias, dando um ar bastante natural ao resultado final.

porcelanato_borda_reta_rustique_rouge_17x103cm_itagres_89044816_00010_600x600 rustique rouge 

Os modelos desse post (fora o da Incefra) são deste último tipo, com placas no formato de piso laminado, e realmente não há comparação em relação à estética final. Isso se reflete no preço, claro: nesse tipo de acabamento retangular, o mínimo de preço que encontrei foi R$75 o metro quadrado.


ade95f44c02ed12589fd253de9a7dde8

Mas o investimento vale a pena…. O resultado final é simplesmente incrível, não é? Olha esse box do banheiro com o porcelanato em madeira de demolição (e cimento queimado). Nunca que usaríamos uma madeira dessa num ambiente diretamente exposto à água; porém, o porcelanato permite isso.

porcelanato rustico

Bem, posso adiantar que esses foram alguns dos “finalistas” para um dos ambientes que vou reformar, mas não escolhi nenhum desses, no final! Em breve mostro pra vocês como ficou o resultado, a obra está para começar! Até lá, não se esqueçam de seguir nossa conta no Instagram: @asagadoapartamento, estou sempre postando ambientes inspiradores e novidades por lá!

Abraços,

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Dando Vida ao Jardim Vertical: Plantas Naturais na Decoração

Minha varanda, com seus impressionantes 3m2, acabou tornou-se um xodó aqui em casa após a entrada do Jardim Vertical. É realmente incrível como as plantas podem mudar completamente a dinâmica de um ambiente, por menor que seja. Desde então, eu aprendi na prática um pouco sobre diversos tipos de plantas no que convivia com elas e observava suas necessidades.

Esse post é, ao mesmo tempo, uma resposta a vários leitores que pediam justamente dicas sobre que plantas eu recomendava, assim como também é uma sequência do post anterior, onde eu focava em plantas permanentes, ou semi-artificiais, na decoração de interiores.

No post presente me proponho a falar sobre minha experiência pessoal com diferentes plantas naturais na floreira da varanda, dadas as condições de clima um pouco “adversas” da mesma, que eu vou mostrar já já. E tem plantas naturais na decoração do interior, também!

Vamos lá?

Vamos começar de cara começar com um “antes” e “agora” do jardim vertical da varanda, pois vai mostrar claramente como o mesmo evoluiu nesses 3 anos (e como eu fui entendendo melhor o que eu queria daquele espacinho).

Então eis aqui o antes, foto que eu publiquei no blog originalmente em 2013 (e desde então virou queridinha no Pin Interest❤ )

varanda pequena decorada

Nessa época, eu ainda não tinha ar condicionado na sala; assim, a condensadora ainda não estava presente ali embaixo da floreira, onde estava a mesa. Quando eu coloquei o split na sala, a mesa e cadeiras tiveram que ir para a outra ponta da varanda, e, em cima da condensadora, foram colocados alguns potes de plantas, como forma de disfarçar a presença do trambolho ali e, de certa forma, ampliar o jardim.

Bem, como vocês podem ver na foto acima, eu tinha decorado a floreira com vasos de plantas floridas, o que dava de fato um colorido muito bonito, mas era uma beleza efêmera: a maioria das plantinhas com flores durava 1 semana, 2 no máximo. Vou falar sobre essas também, mais adiante.

Mas antes, vamos olhar para o agora:

jardim vertical verde

jardim vertical varanda

Beeeem diferente, não?! Em primeiro lugar, vocês podem ver que o verde é predominante na floreira; e as plantas não mais ficam mais restritas dentro de seus cachepôs. É uma estética mais próxima a que descrevo nesse post aqui, quando falei sobre a arquitetura e decoração de Nova Orleans, para onde viajei no início desse ano. E é intencional.

Ora, eu tinha em mãos um jardim vertical – e foi justamente disso que decidi tirar vantagem! Essa nova configuração aproveita ao máximo a verticalização do jardim, de forma que as plantas crescem para cima ou para baixo e cobrem, assim, grande parte da floreira. A escolha das plantas foi fundamental nesse caso, com esse propósito. Os ramos das heras, como vocês podem observar na parte direita da foto acima, chegam a mais de 1 metro de altura!

Eu mencionei antes as “condições adversas” da varanda, certo? Pois bem, o mesmo não tem a ver com o sol, na verdade; minha varanda pega apenas o sol da manhã, o que é ótimo, e antes do meio dia as plantas já estão na sombra. O que complica mesmo, no meu caso, é o fato de que a condensadora do ar condicionado fica embaixo da floreira. Então, quando o ar condicionado está ligado na sala, durante o verão, a varanda fica bem quente, naturalmente. O verão do Rio já tem temperaturas elevadas, e, se adicionarmos a condensadora do ar jogando ar quente na varanda… já viu. Muitas plantas não suportam temperaturas tão altas, e as floridas são as primeiras a sentir tal efeito. (Em compensação: a condensadora na varanda é fantástica pra secar roupas, é tipo 2 em 1 – ar condicionado e secadora! ;)

Algumas das plantas que mais deram certo pra mim – pelo fato de que resistiram bem à essas condições específicas e também me agradaram muito por sua beleza, foram:

  • aspargo rabo-de-gato;

aspargo rabo de gato

Se vocês olharem novamente a foto original da floreira, lá está o aspargo rabo-de-gato, que continua até hoje, firme e forte, anos a fio, dando o ar de sua graça aqui!

E em certas épocas do ano, o aspargo dá essas mini-florzinhas brancas, que são lindíssimas. É muito legal poder observar o ciclo completo de uma planta durante o ano! Você se relaciona com as plantas de uma maneira diferente.

Adoro esses aspargos e, se plantados no chão, eles se espalham muito facilmente.

  • heras-inglesas (ou heras-estrelas);

mini heras

Virei fã das heras; algumas estão comigo há mais de um ano, e elas cresceram bastante; como disse antes, alguns ramos já tem mais de 1 metro!

jardim vertical

 

  • pata de elefante;

pata de elefante decoração

Outra planta bastante resistente, a pata de elefante não precisa de rega diária e pode chegar a tamanhos enormes. Como essa está dentro de um pequeno vaso, ela não crescerá muito, mas tem uma forma muito específica e bela.

A minha, já está comigo há mais de 1 ano.

  • ficus benjamina;

Apaixonei-me pela ficus benjamina através de uma árvore semi-artificial (não sabe o que é uma árvore “semi-artificial”? leia aqui), que está decorando minha sala:

DCIM154GOPRO

Então quando achei uma ficus natural no horto perto de casa, não hesitei em trazer a arvorezinha pra minha varanda também. Fora a floração intensa, outra coisa que gosto muito sobre ela é seu tronco e seus galhos, muito bonitos!

Inclusive reutilizei alguns dos seus galhos secos num arranjo no centro de mesa:

Ah, e quanto à árvore semi-artificial, ela continua na sala. Acredito que plantas permanentes desempenhem um papel importante em certos lugares onde as condições não são favoráveis à plantas naturais. Há espaço e oportunidades para que plantas naturais e permanentes convivam num mesmo lar, dependendo das necessidades de cada ambiente.

  • jibóia;

Acho muito legal, também, tentar incorporar plantas naturais na decoração de interiores. As plantas renovam o ar, conferem leveza e claro, trazem um colorido todo especial ao ambiente.

 

cozinha-verde

Entretanto, muitas plantas não se adaptam ao ambiente interno, o que acaba nos levando a dar preferência às plantas permanentes.

Ainda assim, uma planta natural que deu super certo dentro de casa foi a jiboia verde, uma trepadeira que coloquei em cima da prateleira do balcão da cozinha americana, a exemplo da foto anterior.

jiboia verde decoração

A jiboia se adapta bem à ambientes sem incidência direta do sol, mas gosta de luminosidade. E outra coisa boa: ela é uma das melhores plantas para melhorar a qualidade do ar!

Acredito que vá ficar linda quando crescer ainda mais, como uma cortina entre a cozinha e a sala.

 

Bem, agora vamos nos voltar às plantas floridas, mais recomendadas para temperaturas um pouco mais amenas.

  • kalanchoe

A kalanchoe é uma plantinha bastante fácil de encontrar, barata, e que tem floração bem densa; em alguns casos, as flores podem ser até de cores distintas entre si.

kalanchoe rosa

Como podem ver, não são flores grandes, são bem pequenas, mas sempre em quantidade, causando um efeito bem bonito.

Se vocês voltarem na primeira foto do post, também poderão ver uma kalanchoe vermelha na configuração original da floreira.

  • lavandas

flor lavanda

Depois que eu visitei o Le Jardin – Parque de Lavandas em Gramado, na Serra Gaúcha, eu fiquei completamente fascinado pelas lavandas; não só pela beleza das flores como também pelo seu aroma incrível.

Em comum com a kalanchoe, vocês podem perceber o fato de que suas flores não são grandes, o que promove uma durabilidade e resistência maior às mesmas.

  • Gerberas;

Quando falamos de flores maiores, tive experiências positivas com a gerbera, tive algumas muito bonitas, mas apenas quando o clima está mais ameno, durante o outono e/ou inverno, e quando eu não tenho necessidade de usar o ar condicionado.

gerbera

Ter em um apartamento um jardim como esse vale cada centímetro investido: você pode chegar do trabalho cansado, mas há algo quase mágico ali que te relaxa, que tem um efeito calmante. Tomar um café na varanda é uma das coisas do dia-a-dia que mais gosto de fazer.

E é sempre um ótimo lugar pras fotos…

…pra todos! rs

 

Abraços,

Thiago S.

 

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

 

Viajar é se Inspirar: Arquitetura e Decoração de Nova Orleans

Antes de mais nada, deixa eu pegar a tacinha de espumante aqui porque este é o centésimo post do blog! Pra comemorar, um post especial sobre um dos lugares mais incríveis que já tive a oportunidade de conhecer, extremamente rico em termos de arquitetura e decoração. Inspire-se! E um brinde aos próximos 100!

***

Viajar é uma das coisas que mais me enche de alegria e inspiração: a inspiração maior vem do fato de que a gente aprende a olhar para o mundo de forma diferente, olhando para ele como outras pessoas o enxergam. Isso em termos bem abrangentes, que incluem não só o estilo de vida, com também a forma como se expressam através das artes, da língua, na culinária e claro, até na arquitetura e na decoração.

Em 2010, visitei pela primeira vez um lugar que esteve desde sempre na minha imaginação: Nova Orleans, nos Estados Unidos. É o lugar onde uma das minhas escritoras favoritas cresceu e descreveu tão maravilhosamente em seus livros, que parecia que eu já havia visitado o lugar, que eu o conhecia. Surpreendentemente, “Nola” (o apelido da cidade) superou minhas já altas expectativas, e eu sabia que um dia voltaria com mais tempo e mais calma.

Olha, o mundo é cheio de lugares pra se conhecer, então a gente fica sempre com aquele sentimento de querer ir num lugar novo ao invés de voltar em um que nós já conhecemos. Mas honestamente? Poder voltar com calma, anos depois, num lugar que te marcou pra sempre e criar novas experiências é simplesmente incrível, talvez até mais interessante do que conhecer um lugar pela primeira vez.

E foi assim que resolvi voltar à New Orleans agora no início desse ano, nas férias de janeiro, 6 anos depois da minha primeira visita. E a experiência foi mil vez mais rica do que a primeira vez que fui. Olha só eu dando uns giros por algumas das paisagens incríveis da cidade:

 

Aqui no blog, quero focar num aspecto fundamental da experiência em Nova Orleans e que dialoga com todo o conteúdo do blog: sua arquitetura e decoração, extremamente inspiradores.

Bem, vamos começar com algo essencial e muito típico da arquitetura de Nola:

new orleans cast iron

As varandas e sacadas das casas do French Quarter, bairro de colonização francesa e espanhola, que dão o tom de muito da decoração da cidade, são estonteantes e tem algumas características importantes.

Em primeiro lugar, você pode notar os belíssimos trabalhos ornamentais em ferro fundido, típicos da colonização espanhola. Se olharmos bem, cada varanda possui sua própria padronagem que tem muitas vezes temas florais ou de folhas; mas, visualmente, eles são bem parecidos.

varandas nova orleans

Outra característica importante é o fato de que esses espaços externos são ricamente decorados com plantas: samambaias gigantes, heras, trepadeiras que se misturam ao ferro fundido, anjos e até fontes decorativas. É como um jardim, e algumas vezes você mal consegue ver a varanda de tantas plantas que ela possui.

sacadinha do hotel, um típico balcony de New Orleans #inspiração

A photo posted by a saga do apartamento (@asagadoapartamento) on

Esse é o balcony do lugar onde fiquei hospedado. Tem como não se inspirar ao acordar com uma varandinha dessas?

Bem, falando de jardins e áreas verdes, as varandas apenas refletem o que acontece lá embaixo: os jardins de New Orleans (sejam em parques, em espaços públicos ou privados) são extremamente ricos e tem algo de tipicamente ‘selvagem’: não são aqueles jardins perfeitinhos onde as plantas estão sempre impecavelmente podadas. Os jardins são espaços onde a natureza se expressa, seja ordenada ou desordenadamente. Então se a trepadeira tomou completamente o espaço, assim ficará; se a hera está tão cheia que está tapando alguma vista, assim será.

longue vue gardens

Acredito que essa foto reflita um pouco dessa estética do lugar; as plantas se misturam ao muro de forma completamente natural, como se estivesse reclamando seu lugar ali; a vegetação (e a decoração) nem sempre é regular, mas é de uma beleza incrível.

Novamente aqui temos a presença dos tijolinhos e das plantas de forma bem extravagante e aleatória. Esse é um dos tradicionais pátios de New Orleans – pátios são lugares à céu aberto, geralmente no meio de um edifício, mas também podem ser na parte de trás ou em outro lugar, onde há geralmente uma fonte como ponto focal e muito verde. E as fontes? Tem musgo sim, tem lodo sim, e ai de quem for lá limpar!

fonte new orleans

O resultado é que não parece algo que foi projetadinho, e sim algo extremamente natural e orgânico. Acho que essa é a palavra que descreve a questão da natureza incorporada na arquitetura e na decoração de New Orleans: organicidade. Autenticidade.

courtyard new orleans

garden new orleans

É um tipo de desorganização que parece quase organizada; é um tipo de beleza rústica extremamente atraente.

Quanto às casas, podemos pensar nas icônicas e coloridas casas de colonização francesa do French Quarter e do Marigny:

algiers house new orleans

casa nova orleans

Alguns pontos em comum: a presença de cores fortes e a necessidade de contraste: a fachada é pintada de uma cor, e geralmente a porta numa outra cor contrastante. Às vezes a porta é de uma cor e o portal/caixonete de uma outra terceira cor.

…e um pouco do charme de casas bem menores no Marigny. Amei essa casinha ❤

A photo posted by a saga do apartamento (@asagadoapartamento) on

Essa pequena casa no bairro do Marigny foi uma das que mais gostei: olha o tamanho dessa casinha, dessa fachada! E ainda assim, nota-se um cuidado enorme em deixá-la com uma identidade única, como nenhuma outra na rua (Se isso não é inspirador para quem mora em apartamento pequeno, eu não sei o que é!) O número da casa é feito com partes de relógio e bijuterias. O portão? Todo feito de chapinhas coloridas. Lindo demais.

Mas Nova Orleães também tem seu lado luxuoso, e ele se encontra no Garden District, bairro de colonização americana onde várias celebridades tem propriedades.

garden district house

O estilo como vocês podem perceber é completamente diferente: grandes colunas imponentes se fazem presentes nas varandas de mansões que não apresentam as cores do bairro francês; aqui, as cores que prevalecem são mesmo o branco, o bege e o cinza. Os tijolinhos, entretanto, costumam reaparecer, e o ferro fundido das sacadas do French Quarter aparece nos portões das casas.

buscando inspiração pra escrever direto da fonte. casa da Anne Rice no Garden District 😍

A photo posted by Thiago S. (@thisardenberg) on

Lembra da escritora que mencionei no início do post, uma das grandes responsáveis por minha curiosidade em conhecer a cidade já aos 11, 12 anos de idade? Pois então, ela descrevia em um de seus livros uma casa na esquina da First Street com a Chestnut, e eu, passeando pelo bairro, passei por lá, claro. A casa que ela descreve no livro é exatamente a casa que existe no local – inclusive, a casa pertence á própria autora! (que não mora mais no lugar).

Estamos falando de Anne Rice, e de clássicos como “Entrevista com o Vampiro“, que descrevem a beleza do Sul dos Estados Unidos e da Louisiana de forma exuberante.

Bem, não tem como fazer uma viagem dessas e voltar do mesmo jeito, tem? A gente sempre carrega conosco um pouco do que vemos por aí, especialmente quando se trata de um lugar tão especial como esse é para mim. Voltei com algumas ideias borbulhando em minha mente e essa é a gênese… qualquer hora dessas, quando/se eu começar a colocar o que tenho em mente em prática, eu volto aqui e me refiro à esse post.

 

ATUALIZAÇÃO- 12/09-2016-  E aqui está no que deu essa fonte de inspiração chamada Nova Orleans!!!

 

Abraços e até breve!

Thiago S.

© A saga do Apartamento. Todas as fotos e conteúdos do post são pessoais e originais e sua reprodução sem autorização não é permitida.

Dando cara nova ao lar, sem gastar muito!

Em primeiro lugar, queria responder a alguns de vocês que me escrevem perguntando o porquê de eu não ter escrito tanto quanto antes por aqui. Nesses anos em que venho escrevendo o blog, já falei sobre muita coisa: sobre a espera interminável pela entrega das chaves (e toda a ansiedade que cerca esse momento), sobre a eventual entrega das chaves (e aquela sensação de mal saber por onde começar), sobre a escolha de cada um dos acabamentos e de cada móvel (pensados em c-a-d-a espaço), sobre as empresas confiáveis com as quais lidei (e aquelas que devem ser evitadas a todo custo), sobre os problemas que surgiram (e sobre as soluções que encontrei)… já falei até sobre a minha experiência olhando criticamente para muitas das decisões que tomei. Ou seja, já falei muito!

A resposta para a pergunta tem a ver com o fato de que sempre me pergunto, “qual seria o alcance desse post, quem estaria interessado nisso? A quem ajudaria? Daria um post interessante?” É verdade que sempre estou mudando alguma coisa ou outra aqui em casa; mas eu não vou justificar um post inteiro aqui para falar sobre um relógio de parede novo que eu comprei pra colocar na cozinha (por mais lindo que ele seja rs). Não dá!

Foi até em parte por isso que eu criei o Instagram do blog (@asagadoapartamento): lá sim eu me sinto mais à vontade para colocar essas novidades menores do apê, e também compartilho alguns ambientes inspiradores e coisas da decoração de outras pessoas, que se encaixam na ‘ideologia’ do blog (criatividade, otimização de espaços, etc etc). Já aqui, como vocês sabem, me dedico exclusivamente a falar sobre minhas escolhas para o apê.

Agora , pra mim, tem sido um prazer pensar nos detalhes da decoração, ir aparando as arestas e tornando as coisas ainda mais práticas e funcionais… sempre mantendo em mente a ‘identidade estética’ que tentei conferir ao meu lugarzinho. Então, nossa conta lá no Instagram é uma companhia para o blog e realmente tenho ficado mais ativo por lá. Vou fazer um apanhado das novidades que postei por lá para quem ainda não segue ou não tem conta no aplicativo; novidades essas que ajudam à dar uma cara nova ao lar, sem necessidade de obras, de dor de cabeça, e o melhor… sem gastar muito! (todos os itens decorativos a seguir custaram, pasmem!, menos de R$100).

* * *

Amo meu porta-rolhas novo! Inclusive, ele é um elemento-chave do layout novo do blog! Já viram? Espero que gostem🙂

A photo posted by a saga do apartamento (@asagadoapartamento) on

A primeira coisa que queria mostrar é esse porta-rolhas lindo que importei pelo Amazon, pois ele faz parte do layout novo do blog.

Já mostrei aqui e aqui antes que esse tema tem sido recorrente na decoração do apê, um reflexo do fato de que cada vez mais eu me aproximo e apaixono pelo mundo dos vinhos.

Escolhi esse porta-rolhas pois não só ele é lindo como também carrega essa mensagem “bons amigos, bons momentos, bons vinhos”, que é algo que traduz muito do que desejo experienciar aqui em casa. E tem coisa melhor?😉

* * *

Dando uma cara nova pra varanda no fim de ano com esses adesivos de ladrilhos da @westwingbr

A photo posted by a saga do apartamento (@asagadoapartamento) on

Outra coisa muito legal, cujo resultado até superou minhas expectativas, foram esses adesivos que imitam ladrilhos decorativos.

Comprei-os numa campanha da Westwing por um preço ótimo, e achei que, na teoria, ficaria legal colocá-los na varanda, abaixo da floreira, para dar uma cara diferente ao ambiente.

O resultado realmente me agradou bastante, e o melhor é que os adesivos até que tem durado um bom tempo, considerando que estão numa parte externa sujeita à ação do tempo. É uma opção legal para quando queremos dar aquela repaginada a algum ambiente ou objeto.

Outra coisa que encontrei numa das campanhas da Westwing foi esse vaso lindíssimo:

Novo centro de mesa– porque pequenas mudanças também podem fazer toda a diferença!

A photo posted by a saga do apartamento (@asagadoapartamento) on

Como já mostrei aqui antes, utilizo vasos  com flores como centros de mesa aqui em casa; o resultado fica muito  vivo e ajuda a quebrar um pouco os tons mais sóbrios que  predominam no apartamento.

Sempre utilizei o mesmo vaso de cristal como centro de mesa,  ocasionalmente mudando somente as flores. Resolvi que estava na  hora de comprar um novo para mudar um pouco, e esse foi o  escolhido!

* * *

Certo dia estava passeando sem compromisso pelos corredores da Leroy Merlin quando vi, com a capa meio sujinha, um único rolo papel de parede perdido numa caixa de objetos marcados como ‘liquidação final’.  O preço original era R$199,90, e ele estava por R$39,90. Olhei bem para o papel. Era um papel de parede vinílico (assim como o que tenho na sala de jantar), o que significa que a qualidade era ótima. Era de uma coleção importada e eu não sabia o que ele estava fazendo ali. Não pensei duas vezes. Nem sabia o que iria fazer com ele, onde iria colocar. Mas por aquele preço, valeria a pena pensar nisso depois. Acabou que coloquei o papel na pequena coluna que existe num dos quartos; quando abrimos a porta dele, é a primeira coisa que vemos. Melhor custo-benefício EVER! Então lembrem de sempre estar de olhos bem abertos às promoções que aparecem! Sempre!

* * *

E finalmente, esse é o tal relógio de parede lindo que mencionei no início do post. Ele foi um souvenir que trouxe de uma viagem esse ano. É um relógio de madeira feito e pintado à mão; o cuidado e detalhes são impressionantes!

Ele é inspirado no Relógio Astronômico de Praga, e como eu adoro incorporar na decoração objetos que me trazem boas memórias de lugares que tive a oportunidade de visitar, não pude deixar de trazer essa belezura (tá vendo? Não há necessidade de um post exclusivo sobre ele! já disse tudo! rs)

a saga do apartamento revista E pra terminar… acho que não cheguei a mencionar aqui que o blog saiu na revista Casa Linda! Achei muito legal por que eu mesmo havia usado revistas como essa para me inspirar na decoração do meu apartamento, e agora o meu apê está lá, inspirando sabe-se lá quem. Muito legal!

Acho que por enquanto é isso, pessoal. O resto das novidades vocês podem ir conferindo no Instagram do blog. Eu disse antes que a frequência dos posts aqui naturalmente diminuiu, maaaaas, como nosso lar é algo vivo, quando um ciclo se fecha não se fecha para sempre.

E isso é muito interessante: temos sempre a capacidade de reinventar nosso lar, para refletir melhor certo momento de nossas vidas. Nesse momento, curtir o apartamento tem sido bom. Tenho algumas ideias borbulhando em minha mente, e quando for a hora… podem ter certeza ABSOLUTA que ficarão sabendo de tudo😉

Até breve… estou sempre por aqui!

Abraços, Thiago S.

Decoração de Natal

Adoro ver as varandas todas iluminadas. Adoro ver os lugares por onde passamos todos os dias de repente ganhando uma nova textura, um ar completamente diferente. Adoro ir pra cama de noite, no escuro, só com a luz difusa do ‘pisca-pisca’ dando um pouco de claridade. Me remete imediatamente à minha infância, ao tempo onde eu roía os dedos de ansiedade pro Natal chegar. E sempre me entristecia quando era hora de desmontar a árvore, de tirar as luzinhas.

Dois anos atrás, eu começava meu post sobre a decoração da varanda para o Natal assim. Era meu primeiro Natal aqui no apartamento novo, e, na época, eu ainda estava em processo de mudança, priorizando outras coisas, então a varanda foi a forma que encontrei pra dizer que aquilo era importante pra mim.

Esse ano, finalmente, eu pude prestar atenção na decoração de Natal: comprar uma árvore, pensar nos enfeites e tudo mais. Melhor que falar sobre isso… é mostrar! Então vamos começar com os enfeites?

decoração árvore natal

Eu decidi, ao buscar algumas imagens de árvores decoradas na internet, que queria que os enfeites fossem predominantemente dourados; dá um contraste bonito com o verde e fica legal tanto de noite quanto de dia. Essas são algumas bolas que usei, todas encomendadas online, em sites como o Submarino e o da Lojas Americanas.

bola de natal dourada 2   bola de natal dourada  árvore

Outro tom presente na árvore é o prateado, um pouco mais discreto que o dourado, mas que o complementa bem. Enquanto as bolas são todas douradas, os enfeites prateados vem em formas diferentes.

 
enfeites natal prateados  ponta árvore estrela

Esses foram trazidos de uma viagem ano passado, mas não é difícil encontrar versões próximas a essas em lojas de decoração . A ponteira em estrela faz parte da árvore, que contém um sistema de iluminação próprio, dispensando o uso de pisca-piscas.

fibra ótica na árvore

Como pode ser vista na foto, o fato dela possuir sua própria iluminação em LED é bom também pois a árvore não precisa ficar com aquele emaranhado de fios de pisca-pisca. Algumas das pontinhas da árvore são também em fibra ótica e se acendem, causando um efeito bem legal. Você pode também controlar a iluminação (são 6 possibilidades de dinâmicas). A árvore em si não é grande (não teria espaço para uma árvore grande aqui!!!), mas ficou exatamente como eu queria🙂

árvore iluminada

 E não poderia deixar de lado a minha pequena varanda, que esse ano, vista de fora, ficou assim:

varanda natal

Trouxe a iluminação para dentro da varanda também, que se estendeu embaixo da floreira. Adoro ficar sentado ali, observando como todo dia parece que a cidade se ilumina mais e mais para o Natal. E pra finalizar, a porta para a varanda ganhou uma cascata azul.

cascata pisca pisca

Sim: eu adoro essa época do ano! <3

Queridxs, queria aproveitar para desejar-lhes um maravilhoso fim de ano, e que a paz e o amor reinem em seus lares. Nos vemos por aqui novamente em 2015!

Beijos e abraços,

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

A saga do ar condicionado na sala (sem quebra-quebra!)

O post de hoje é dedicado a pessoas que, assim como eu, não conseguem ficar sem uma das maiores invenções do homem: o ar condicionado. Nele, vou responder basicamente duas perguntas: a primeira, se de fato vale a pena investir num ar condicionado portátil como alternativa ao split; e a segunda, como instalar um split sem precisar quebrar parede (o que meio que já responde a primeira pergunta, né?). Também vou falar sobre minha experiência (complicada) comprando nas lojas virtuais PontoFrio.com e CompraCerta.

Vamos lá?

***

6 longos meses. Esse foi o tempo que demorou do momento em que fiz o (primeiro) pedido do ar condicionado para minha sala até a publicação desse post.

Sendo bem realista, parece que está cada vez mais complicado fazer obra no nosso país. É fazer o pedido e rezar para que ele seja entregue no prazo; é rezar também para que não dê nenhum problema, pra não precisar contar com a boa vontade da loja pra realizar a troca. Pagamos, e parece que estão nos fazendo um favor.

E eu, que tinha me programado para passar o verão com a casa climatizada, me vejo publicando esse post… no outono. Legal.

Ainda bem que existe A Saga do Apartamento, minha válvula de escape. Hora do show.

 

Parte I – A novela do ar condicionado portátil

Antes de decidir comprar o ar condicionado split, fiz a compra, através do site Ponto Frio, de um ar condicionado portátil da Olymplia Splendid. Aqui no condomínio, não é permitido quebrar as paredes nem para colocar ar condicionado split, pois ele é em alvenaria estrutural. Logo, descartei a ideia de colocar um split, mas fui atrás da alternativa, pois o calor no RJ já ultrapassou os limites do suportável. E aqui verão é quase o ano todo, afinal.

Então, comprei o ar, e quando chegou, percebi que de ‘portátil’ aquilo não tinha nada.

ar condicionado portatil olimpia splendid

 

Por  fotos promocionais como essa, somos levados a acreditar que o dito cujo não ocupa tanto espaço. Mas não só ele é enorme (tanto em altura quanto em profundidade), como também é muito pesado, o que dificulta demais ficar levando-o de um lado pro outro. Outra coisa: A foto aí de cima nem mostra o tubo enorme que você precisa acoplar no aparelho para fazer a saída de ar quente (a gente sabe que ele existe, mas não tem noção de quanto espaço ocupa). Algo assim:

ar condicionado portatil tubo

Ou seja, no fim, você ainda tem que contar com um espaço extra para poder deslocar o tubo extensor.

E, claro, sem falar que, muitas vezes, vai precisar fazer um furo no vidro (da porta, da janela) para poder fazer a passagem e fixação do tubo. Apesar dessas dificuldades, eu persisti e fiz mesmo assim (entendam que o calor dessa cidade amplamente conhecida como Hell de Janeiro chega aos 50 graus, tá bom pra você?).

Mandei fazer um furo no cantinho da porta da varanda, que fica escondido atrás do sofá:

abertura no vidro

E coloquei o ar condicionado, que tinha 13.000 BTUS, para funcionar. Resultado?

Meu ar condicionado do quarto, de 7.500 BTUS, gelava mais que esse trombolho de 13.000. Esse parecia mais um climatizador que um ar condicionado. Vamos lembrar que o ar condicionado portátil é um produto muito caro, chegando a ser mais caro que um split. Ou seja, se é pra pagar caro, que o produto pelo menos funcione como esperado. Não é o caso.

E, acreditem ou não, na segunda vez que liguei o ar, ele parou de funcionar. Simplesmente. Em retrospectiva, acho que foi melhor assim, caso contrário ainda estaria com aquilo aqui em casa.

Aí o problema seguinte foi lidar com a Ponto Frio, que demorou mais de 2 meses(!!!!!) para recolher o produto defeituoso. Agora você imagina, ficar com algo desse tamanho ocupando precioso espaço em um apartamento e sem funcionar? Liguei para a operadora do cartão, cancelei a compra (porque imagina, ficar esperando eles recolherem um produto para fazer o estorno? E se não recolhessem?) e, muitas semanas depois, o produto foi recolhido. Isso depois de marcarem várias vezes e não aparecerem. E quando finalmente apareceram…. não avisaram. Parabéns pela completa falta de organização e profissionalismo, PontoFrio.com,  perderam um cliente pra sempre.

E depois dessa palhaçada toda, fui atrás da outra alternativa.

*

Parte 2 – Como instalar ar condicionado split na sala, sem quebra-quebra

Como disse antes, só não optei direto pelo split pois o condomínio não permitia quebrar a parede. Entretanto, conversando com um vizinho, conseguimos pensar numa forma de contornar o problema, me aproveitando daquele furo na porta de vidro que fiz.

Comprei o split no Compra Certa. Já havia comprado na loja virtual antes, mas dessa vez eles extrapolaram o prazo significativamente (que já era longo, 25 dias úteis), o que me causou um pouco mais dor de cabeça. Enfim ele chegou, e o que fiz foi o seguinte:

Ao invés de quebrar a parede e esconder a fiação nela, a fiação ficaria, inicialmente, aparente, passando para fora pela abertura existente. Assim:

IMG_7740

 

IMG_7742

E agora ficava faltando pensar na parte estética, sobre como esconder a tubulação aparente.

A primeira coisa que pensei foi fazer uma coluna em gesso. Cheguei até a cotar com alguns gesseiros quanto cobrariam pelo serviço (cerca de R$200), mas eles mesmos me alertaram para o fato de que qualquer manutenção que precisasse ser feita no ar condicionado, a coluna teria que ser quebrada e o serviço refeito.

Decidi, então, conversar com um marceneiro sobre fazer uma coluna de madeira, removível, para esconder a tubulação do ar.

Melhor ideia ever.

split na sala sem quebrar parede

Não só o resultado ficou muito parecido com o de uma coluna de gesso, como também saiu significativamente mais barato, metade do preço cotado com o gesseiro. Podem perceber, também, que já havia uma coluna de gesso horizontal no teto, e essa nova coluna em madeira se assemelha muito a ela, formando meio que uma moldura na parede. Talvez, no futuro, isso possa servir para fazer algo decorativo, pintando essa “moldura” com uma cor diferente, algo do tipo. Quem sabe.

O split, da Consul, tem 18.000 BTUS, e gela muito bem a sala de estar e de jantar, assim como a área da cozinha e o corredor. Se eu deixar a porta do banheiro aberta, ele também fica geladinho. Ou seja, a potência foi suficiente para dar conta do apartamento inteiro, fora os quartos; uma área de 30m2.

Finalmente, preciso falar sobre a condensadora, a parte externa que fica na varanda.

Ela tomou um espacinho precioso na varanda, que não é enorme, mas já que ela ficou justamente embaixo da floreira, resolvi aproveitar a oportunidade pra integrar a condensadora ao ambiente.

disfarçar condensadora split varanda

Gostei muito de como ficou, “parte do jardim”. E mais uma vez a gente vai encarando essas pequenas dificuldades que aparecem, tentando torná-las favoráveis de algum jeito.

Pode parecer tão simples, mas é impressionante o quão complicado pode se tornar algo como instalar um ar condicionado na sala. Espero que com esse post eu possa facilitar de alguma forma a experiência de vocês.

Grande abraço e até a próxima,

Thiago S.

O blog no Instagram @asagadoapartamento

O blogueiro no Instagram @thisardenberg

 

Confira também:

 

 

 

Reavaliando a compra dos porcelanatos

Oi pessoal! Como foram de fim de ano? Espero que tudo tenha corrido bem, e que estejamos todos entrando no ano novo com energias renovadas!

2014 chegou e, com ele, o blog ultrapassou a marca de 1.000.000 de visitas! Difícil acreditar. Fico realmente feliz ao ler cada comentário que me mandam dizendo que algo que escrevi há 2, 3 anos atrás está ajudando-o/a hoje. Fico feliz quando me dizem que o blog os inspirou a fazerem seus próprios blogs, ou a fazer uma reforma em algum ambiente da casa. Afinal, não sou interior designer, não sou arquiteto, nunca estudei formalmente sobre isso. Sou simplesmente alguém que estava completamente determinado, como digo na descrição do blog, a fazer de um espaço bem restrito o meu lugar favorito no mundo. Então visitei muitas lojas de decoração, exposições, li muitas revistas, vasculhei muito pela internet para ter certeza das opções que tinha, sempre filtrando o que me agradava e como eu poderia usar aquilo a meu favor. E resolvi compartilhar um pouco disso com vocês.

Cheguei agora pouco de viagem, e quando cheguei em casa, olhei para cada cantinho e pensei, “é, você conseguiu”. Tem coisa melhor? Claro que sempre vai ter coisa pra fazer em casa, sempre algo faltando, e outras coisas que dão problemas. E assim a gente segue em frente, travando uma batalha de cada vez. Mas passar por elas e saber que essa experiência vai ajudar outras pessoas é fantástico.

Enfim, enquanto me preparo para algumas pequenas obras aqui no ap (post de fevereiro, talvez? com sorte…), vou falar sobre algo que sempre me perguntam, por enquanto: como estão os porcelanatos? recomenda? qual o melhor? risca fácil? e a limpeza? Então vamos voltar a série “Reavaliando a compra” pra sanar essas dúvidas de uma vez.

Prontos?

AVALIAÇÃO #8 : Porcelanato estilo Deck de Madeira (Referência: Parquet Bambu Acetinado)

EMPRESAS RESPONSÁVEIS: Eliane (fabricante), Chatuba (Loja)

TEMPO DE USO: 1 ano e meio

Vou ser o mais simples e categórico possível em relação ao porcelanato da varanda e do banheiro: não poderia ter feito escolha melhor. Sério.

Não só o piso é lindo demais, como também é super fácil de limpar. No caso da varanda, um pano úmido é suficiente. No banheiro, uso produto específico para limpeza de banheiro. Eles não arranham fácil (não consegui perceber nenhum arranhão!) e apesar de serem acetinados, tem uma porosidade que não os deixa escorregadios, sendo perfeitos para áreas molhadas. Os próprios ‘vincos’ estéticos dão uma certa segurança extra.

porcelanato deque madeira eliane parquet bambu

É fácil demais recomendar esse modelo, então passaremos sem mais delongas para o modelo que usei na cozinha, um pouco mais problemático.

***

AVALIAÇÃO #9 : Porcelanato Alvor Bege (Acabamento Polido)

EMPRESAS RESPONSÁVEIS: Incepa (Fabricante), Chatuba (Loja)

TEMPO DE USO: 2 anos

Aqui temos o tradicional porcelanato polido, aquele extremamente brilhoso e que enche nossos olhos quando olhamos nas fotos de revistas e websites. Tipo assim:

piso-porcelanato-4

Pois é. Bonito ele é. Mas honestamente? Minha experiência não foi lá grandes coisas com ele. Em primeiro lugar, ao contrário do acetinado da varanda, ele apresentou alguns riscos aparentes. E isso foi, acredito, num dia que puxei o fogão para o lado para limpar algo. Ou seja, nem foi feito muito esforço. Vale lembrar que certas cores deixam riscos mais aparentes que outras, e cores claras – geralmente as mais bonitas e que dão mais amplitude – são as piores nesse sentido.

Em segundo lugar, e talvez muito mais importante: para o piso ter esse aspecto lindo e brilhoso da foto, ele precisa de limpeza diária. Ele marca demaaaaaais. Se você pisar nele descalço, muitas vezes dá pra ver a marca do pé, se o ambiente estiver bem iluminado. Nem imagino como seria se tivesse colocado ele na casa toda! Algo brilhoso demais assim dá muito trabalho. Bem diferente de um laminado. Ou até do porcelanato da varanda e do banheiro!

Pelo menos, o piso é super fácil de limpar. Uso na cozinha um produto que cria uma proteção que impede que a gordura se fixe nele. E aí passo um esfregão, e pronto, lá está ele brilhando. Por algumas horinhas, até sua próxima refeição. Evitem ao máximo colocar esse tipo de piso na cozinha especialmente! Fica super bonito, mas não sei se compensa.

porcelanato cozinha

Bem, então cabe a vocês agora pesar os prós e contras desse tipo de piso e avaliar se vai valer a pena. Essa foi MINHA experiência com ele.

E por hora ficamos aqui! Espero que o post tenha sanado algumas das dúvidas mais frequentes de vocês.

Mês que vem deve ter novidade no apê e, consequentemente, post novo no blog. Abraços!!!

Thiago S.

Se você gostou desse post também vai gostar de:

Fonte decorativa de mesa

Adoro fontes: sejam elas de mesa, de jardim, ou aquelas fontes exuberantes como as de Las Vegas.  Sempre fui atraído por elas. Muitas vezes a estrutura em si já é digna de admiração, mas também posso dizer que a água em movimento me acalma.

Então, quando senti que estava faltando algo em cima da minha mesa da varanda, logo embaixo da floreira, logo pensei em finalmente trazer uma pro apê. E aí começou a parte mais difícil: escolher!

Vou compartilhar aqui algumas das fontes que vi online e que serviram como ‘inspiração’ para a que comprei; mas vale a pena lembrar que vale muito a pena ir nessas lojas pequenas de decoração da sua cidade, eles geralmente tem modelos de fontes muito legais e exclusivas. Eu mesmo fiquei em dúvida entre um modelo que vi online e outro que vi numa lojinha ‘desconhecida’ aqui perto de casa.

Bem, vamos lá:

fontes decorativas de mesa

As duas fontes com fundo branco são da Homedics e podem ser facilmente encontradas em lojas online grandes como a Americanas e o Extra. São muito bonitas, mas li algumas restrições em relação à qualidade dos produtos.

As outras são todas da Gi Presentes/ Greent Imports, que conheci na minha busca por fontes e super recomendo.

Vocês podem notar que todas as fontes tem uma luz LED embutida, o que torna o visual muito bonito à noite. Até mesmo de dia, a luz LED é notável.

E agora vamos ver a fonte que escolhi….

fonte de água decorativa com LED

Ela também é da Gi Presentes, e tem como referência o nome “Mini Jarros”. Eu dei uma ‘incrementada’ nela decorando-a com alguns minerais que tinha aqui, como a ametista, a pirita, olho-de-tigre etc, e, dentro do jarro maior, onde há a luz LED (que é bem forte), coloquei uma pedra lapidada.

luz led fonte

Dá uma quebrada na luz direta e fica mais ‘natural’. De noite, o efeito é fantástico.

luz led decorativa

E aí pronto– acho que agora não está faltando mais nada ali no cantinho da varanda. É só sentar ali, tomar um café e relaxar🙂

decoracao sacada pequena

Ah, e se vocês quiserem ver a fonte em funcionamento, deem um pulo no Instagram do blog (sim! o blog agora tem Instagram!), que coloquei um pequeno vídeo com a fonte. Lá no Instagram, vou postar coisas de decoração menores – como, por exemplo, um relógio lindo pra cozinha que comprei – coisas que não justificam, na minha opinião, um post inteiro aqui, mas que valem a pena ser compartilhadas também. E vou fazer algo que não faço aqui, que é compartilhar ambientes/ itens decorativos de outros lugares que também acredito que sejam inspiradores. Então deem uma olhada lá!

O BLOG no Instagram: @asagadoapartamento

O BLOGUEIRO no Instagram: @thisardenberg

Abraços,

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de: