Direto do Jardim: Espada de S. Jorge trançada

POST RELÂMPAGO | Passando para mostrar a vocês como está a configuração atual do meu cantinho preferido do apê: a varanda, claro! Para o lado da jardineira, trouxe essas espadas de S. Jorge trançadas, que são super resistentes ao sol e conferem um visual lindo, bem agradável a qualquer ambiente (elas podem ser usadas também em ambientes internos, sem problemas).

Do outro lado, meu querido jardim vertical continua bem verde apesar do inverno; as heras, o aspargo rabo de gato, a renda portuguesa e a pata de elefante se adaptam bem à estação e permanecem exuberantes, como vocês podem ver abaixo:

hello, winter 💙

A post shared by ⚜ Thiago S. (@thisardenberg) on

As estações podem mudar, mas se tem uma coisa que não muda, é meu amor por esses 3,5 metros quadrados 🙂

Às vezes só o que preciso é de um café na minha varandinha 💚 Bom dia, pessoal.

A post shared by a saga do apartamento (@asagadoapartamento) on

Então nada de reclamar de falta de espaço, hein? Qualquer cantinho pode sempre virar “o” cantinho perfeito, por menor que seja. Esse sempre foi e continua sendo o lema do blog!

Abraços!

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Anúncios

Redecorando a sala – parte 4: Sobre Peças Marcantes, Quadros e Telas Decorativas

Pode observar: quando a gente entra num ambiente pela primeira vez, nosso olhar costuma ser magneticamente atraído para a direção de um quadro ou tela decorativa, e não é por acaso.

Na composição do ambiente, o quadro geralmente tem um espaço privilegiado, bem no meio da sala de estar ou de jantar. Ele muitas vezes se encontra no que chamamos de ponto focal, e, justamente por isso, pode ser uma oportunidade fantástica para se mostrar um statement piece, termo comum usado na língua inglesa que descreve algo que deliberadamente chama a atenção, seja porque foge do lugar comum, pela beleza singular, ou pela mensagem que transmite. Vou identificá-lo aqui como Peça Marcante – uma peça que pode ser qualquer item decorativo: uma cadeira feita de retalhos, uma poltrona em estilo provençal, um simples centro de mesa exótico… que tem o poder de capturar o olhar e a atenção de quem a vê. Marcante.

Idealmente, ela se integra ao ambiente, complementando-o (seja ele consoante ao resto da decoração ou deliberadamente contrastante) e dizendo algo que tem a ver com o estilo que você quer imprimir ao ambiente ou sua personalidade.

Bem. Quando mudei as cores das paredes na redecoração da sala, me deparei com um problema: a cor nova de uma delas mostrou-se mais intensa do que eu previ:

parede sala de estar verde cinza Coral Pinheiro Inglês

… sim, gostei muito do resultado, mas achei que se eu trouxesse essa mesma cor – mais fechada – para a parede do sofá também, iria deixar o ambiente pesado. Então resolvi pintar a parede do sofá de branco, como forma de de neutralizar a cor mais forte e deixar o ambiente equilibrado.

Esse não era meu plano original, e não fiquei totalmente feliz com o branco: ainda por cima, achei que minha tela antiga (que era preto & branco) ficava muito apagada na parede. Era essa a tela:

tela com luzes LED

Depois que a parede tornou-se branca (na foto acima, a parede ainda estava cinza, como era antes da redecoração da sala), senti que precisava de mudar o quadro, pois faltava algo ali: vida. E para dar vida… nada melhor que cor.

Eu sabia que, o que quer que entrasse ali – fosse uma paisagem ou algo abstrato; uma pintura ou uma fotografia; fosse o que fosse – precisava ter muita cor. E foi assim que comecei a procurar, com esse filtro principal em mente.

Olha, há muitos quadros bonitos por aí, mas é difícil achar um que realmente capture alguma coisa além do “ah, gostei”. Procurei por lojas físicas de quadros e nada me encantou; resolvi então buscar algo na infinidade de possibilidades da internet. Vi muita coisa legal em sites diversificados como o Elo 7 (que inclui reproduções originais, por encomenda, de artistas interessantes), o All Posters (site em português, mas os pedidos vêm dos EUA e podem ser taxados; infinidade de possibilidades, há tudo o que você pode imaginar) e o AliExpress (o famoso site da China; sabendo procurar você acha coisa bem interessante com bons preços, também sujeitos a serem taxados pela Receita).

Durante essas buscas, fui salvando algumas imagens que me chamavam a atenção; mas uma em especial tinha algo que sempre capturava meu olhar: me fazia querer olhar para ela. Por algum motivo. A tal da peça marcante.

Resolvi arriscar e, 1 mês e meio depois da compra… aí está a tela dando a vida que eu procurava na sala:

tela com flores moderna sala

tela floral

A tela é pintada à mão e traz uma explosão de cores muito bem vinda ao ambiente. Eu sentia falta de algo assim, mais alegre, uma vez que meu apê é repleto de tons mais sóbrios (pois não cansam, ampliam ambientes, e claro, são elegantes). Entretanto, foi só agora, com a parede branca, que essa necessidade ‘gritou’.

Gostei muito do fato da tela ter essa textura:

tela colorida quadro sala

… que dá um ar meio caótico à pintura, meio despretensioso, e, ao mesmo tempo, um pouco mais ‘artístico’ do que seria uma pintura ‘perfeitinha’.

E outra coisa, sob o reflexo da luz do dia, a tela fica completamente diferente, quase que em 3-D, as flores ‘saltam’ aos olhos. Tentei capturar:

tela texturizada colorida

… e amei esse resultado inesperado.

E pela manhã cedinho…

luz da manhã invadindo o apê… 🙂

A post shared by a saga do apartamento (@asagadoapartamento) on

Comprar na internet tem disso: você nunca sabe exatamente o que vai receber, ainda mais quando são peças pintadas à mão, uma nunca vai ser igual à outra. Eu dei sorte dessa vez de ter ficado super contente com o resultado final na parede, ainda que a tela que eu comprei aparecesse no site bem diferente.

O link para a loja do vendedor está aqui.

Ah, outra coisa: comprando em sites, na maioria das vezes, as peças vem em tubos, enroladas; e aí cabe a você, depois, esticá-las colocando chassi (no caso das telas) ou emoldurá-las de acordo com sua preferência (caso dos quadros) – o que pode encarecer bastante a peça (Comprar em lojas tem essa vantagem, o preço já é final).

E aí, gostaram? Acho que encontrei minha peça marcante! Escolher algo a dedo, entre tantas opções, é quase que apostar; mas quando dá certo, é muito gostoso. Aquela peça específica está ali porque ela te disse algo.

Então, queridos e queridas, minha ‘redecoração’ está quaaase acabando… só faltam alguns pequenos- mas notórios- detalhes que quero acertar antes de dizer, “that’s all, folks!“. Tem sido maravilhoso voltar a escrever aqui e já estou quase ficando com saudade! 🙂

Até breve!

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Reavalindo a compra… do piso laminado (Durafloor/ Pallas Dobbin)

saga do apartamento 2 anos

Como vocês podem ver aí no print, há exatos 2 anos eu publicava meu primeiro post aqui, que levava o mesmo nome do blog. Confesso: é estranho reler algo que escrevi aqui antes. Me faz lembrar do quão difícil foi chegar aqui, em casa, no fim do dia, e ver tudo do jeito que está. Ler aquele primeiro post é quase doído, foi uma época bem angustiante. E o blog me ajudou muito a lidar com isso, e me fez conhecer muita gente legal. Como já disse aqui antes, esse mundo dos blogueiros de decoração é um muito delicioso de se fazer parte, são todos como bons vizinhos.

De lá pra cá, muita coisa aconteceu, essa época parece incrivelmente distante de mim, mas é bom saber que toda a trajetória está aí pra auxiliar quem está passando pela(s) mesma(s) coisa(s).

Me deixa feliz quando me dizem que estou ajudando – bem, obrigado, vocês também me ajudaram muito. E vamos que vamos!

Hoje vou postar algo que já me pediram diversas vezes: uma reavaliação do piso laminado.

* * *

“Reavaliando a compra…” é uma série de posts onde revisito minhas escolhas para o apartamento criticamente, focando na durabilidade dos produtos, na assistência técnica e no suporte pós-vendas das lojas e fabricantes.

FATO: A primeira vez que eu enxerguei meu apartamento como “LAR” foi quando eu vi meu piso laminado, tão sonhado, finalmente instalado. Coisa que eu ilustrei, na época, com essa foto aqui no blog:

carvalho-dover3

Que lembrança boa. Eu sempre soube que queria piso de madeira; mas daí até chegar no modelo específico, e depois finalmente vê-lo prontinho… foi uma longa jornada. Isso tudo vocês podem, se tiverem interesse, ler detalhadamente nos posts onde falo sobre o assunto: parte 1, parte 2, parte 3, parte 4 e parte 5.

Mas e agora, mais de um ano e meio depois da compra, como eu me sinto em relação ao piso, no dia-a-dia?

***

AVALIAÇÃO #5 : Piso Laminado Durafloor (Linha Studio, Padrão Carvalho Dover)

EMPRESAS RESPONSÁVEIS: Pallas Dobbin (Loja), Durafloor (Fabricante)

TEMPO DE USO: 1 ano e 8 meses

Bem, antes de mais nada: ninguém compra piso para durar um, dois anos. Pois bem, avaliar *de verdade* eu só poderei depois de pelo menos uns 5 anos de uso, mas como sempre me perguntam sobre o que estou achando do laminado, aqui vai essa review, preliminar, da minha experiência com ele até o momento.

Em primeiro lugar, preciso falar sobre a praticidade do laminado, que é uma mão na roda quando falamos de manutenção! A limpeza, conforme indicação do próprio fabricante, era pra ser somente com um pano úmido… e pronto. Por alguns meses eu segui a recomendação, até que um vizinho, que também tinha laminado, me apresentou isso aqui:

destac

Eu não conhecia o Destac, então fui procurar saber do que se tratava. Chequei no site da Durafloor, e vi que eles dão essa informação: “Conforme consta no Certificado de Garantia, o limpador Destac poderá ser utilizado diariamente, porém não deve ser aplicado diretamente no piso, sempre no pano; caso apresente marcas ou manchas, suspender o uso; poderá também diluir na água, pois é um produto como detergente” (Fonte: Durafloor). Já que era recomendado pelo fabricante, resolvi testar.

Adorei o resultado! O cheiro do produto é excelente, lavanda; deixa o apê com leve cheirinho de limpo. E, claro, sendo uma espécie detergente, é ainda mais eficaz na limpeza que simples pano úmido. Tem uma série de produtos Destac, e esse aí em cima é o específico para laminados. Aqui embaixo o piso logo após o Destac ter sido aplicado.

destac aplicado piso laminado durafloor

Bem, agora em relação à resistência/durabilidade do laminado em si, também sou só elogios. Não que ele não arranhe de forma alguma, isso é mentira; mas é muito menos suscetível à arranhões, obviamente, que um piso de madeira, por exemplo. Dependendo da escala de resistência à abrasão (que no mercado brasileiro, entre os pisos laminados, varia de AC-2 para o mais frágil e o AC-5 para o mais resistente), pode ser bem duro. O meu, Durafloor Studio, é um AC-4, e tive só pequenos problemas com arranhões. Vale lembrar que cada linha da Durafloor (e outros) tem uma resistência específica, sendo essa a razão pela qual são direcionadas ao uso doméstico ou público de alto tráfego, por exemplo.

O maior dos problemas que tive foi numa ocasião bem infeliz onde a prateleira que fica acima da minha bancada da cozinha veio abaixo (ela não tinha sido bem afixada pela montadora dos móveis, olha o perigo!), e com ela vieram também taças e outras coisas de vidro. Triste, mas felizmente, pelo menos, ninguém se machucou. Enfim, o impacto foi bem grande, e nas fotos que tirei, os arranhões são imperceptíveis.

E esse foi um caso extremo. Entretanto, acho que a COR que escolhi também favorece isso, disfarça possíveis arranhões.

O piso continua muito bonito e até agora, eu não me arrependo, de forma alguma, de tê-lo colocado. Ainda mais quando o comparando com o porcelanato da cozinha, que dá bem mais trabalho… Mas aí já é assunto pra outro post.

Então é isso, querid@s! Espero que tenha sanado suas principais dúvidas.

Até a próxima, abraços,

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Primeiro Aniversário do Blog: Uma Retrospectiva

“Eu preciso escrever esse blog. Nunca escrevi um antes. Mas agora, eu sinto que preciso falar sobre os muitos capítulos dessa longa saga que teve início lá em outubro de 2009. Falar pra quem está passando pela mesma situação, falar pra quem está considerando se vale a pena passar por esta situação… Só nós sabemos como é dura essa jornada!”

Há um ano, era assim que eu dava início ao blog. Eu realmente precisava escrever, como uma forma de desabafar, de botar pra fora tudo que eu estava sentindo em relação ao longo atraso da entrega das chaves do apartamento pela MDL Realty.

O que eu não fazia ideia era de que, um ano depois, esse “diário” seria acessado por milhares de pessoas todos os dias no Brasil é até fora dele, e que eu teria trocado ótimas experiências com um monte de gente que passou, está passando ou irá passar pela mesma situação (para os dois últimos grupos de pessoas– força!!).

Também não sabia que esse blog se tornaria, para mim, um poderoso veículo para falar sobre as empresas com as quais lidei; seja para elogiar e recomendar, ou, talvez principalmente, para alertar sobre experiências negativas. É maravilhoso saber que a nossa experiência não foi em vão, e toda vez que alguém me manda uma mensagem me dizendo que privilegiaram outras empresas em detrimento das que mencionei (oi New Móveis, tudo bem MDL Realty? estou falando principalmente de vocês), sinto que meu dever está sendo cumprido.

Fora essas coisas chatas, também há as coisas boas, claro. Que são muitas, e incríveis. Não tinha ideia do quanto iria me divertir decorando meu apartamento, deixando-o do jeito que sempre sonhei. E compartilhando aqui, claro. Não é nada fácil (afinal, estou eu aqui um ano depois… e ainda não acabou rs); e que há sempre dor de cabeça (gente que marca um dia e não aparece, ou simplesmente somem, profissionais que não deveriam ter o privilégio de serem chamados de “profissionais”…) é fato; mas, ainda assim, ver as coisas indo pro lugar é maravilhoso.

Ainda mais quando se tem o apoio de uma querida comunidade blogueira, composta por leitores e outros colegas de blogs, que entram no blog como se fossem aquele tipo raro de visita que você nem quer que vá embora, que te põe pra cima, te dá uma força. Gente que te pergunta se você já considerou decoração como uma profissão (hahahaha). Para um professor de inglês que nunca tinha decorado nem seu próprio quarto direito, não dá pra não ficar minimamente lisonjeado, né? 😉

Só sei que esse mundo das blogueiras e blogueiros que, em suas ‘sagas’ particulares, abrem seus lares com a maior boa vontade e compartilham suas ideias sempre elucidantes, é um espaço maravilhoso, acolhedor, onde me sinto muito bem. Queria ter todos como vizinhos, queria pedir café na porta de vocês e admirar o quadro que você escolheu com tanto cuidado para dar as boas-vindas às visitas.

E como esse post é também uma retrospectiva, preparei aqui uma breve lista com 5 posts que representam 5 momentos muito importantes pra mim nesse primeiro ano de blog/apartamento. Foi mais difícil do que imaginava escolher…. mas vamos a eles!

01.

Chaves na Mão!!!

Não tinha como escolher outro para encabeçar a lista, né? A entrega das chaves, especialmente do primeiro lar, é sempre algo marcante, então poder escrever esse post finalmente foi maravilhoso. Infelizmente, as memórias dessa época não são lá tão boas, graças à péssima sensação de passividade diante da MDL Realty e da Sinco Engenharia, que, constantemente, atrasavam na entrega da obra, resultando num atraso total de um ano.

O pior é que a má-intencionada da MDL ainda teve a coragem de alegar, em juízo, que o atraso foi de “12 dias”. Alegaram que tiveram motivos para fazer uso dos 6 meses que, teoricamente, as construtoras teriam para atrasar (mas NUNCA apresentaram para os clientes qualquer desculpa plausível), e, apesar de sempre ter sido informado (inclusive por carta) que o prazo era dezembro/2010 (sempre foi), no contrato, eles, de má fé, não colocaram data de entrega exata, parafraseando algo como “entrega 2 anos após a incorporação do memorial descritivo”. Coisas que não prestamos a atenção na hora. O tal memorial era de maio/2009, + 2 anos = maio/2011. Adicione os 6 meses e você tem novembro/2011. As entregas foram em dezembro/2011. E o pior é ver que a justiça aceita esse tipo de lambada, esse tipo de coisa que fica claro que é má fé.

Enfim, fica a dica: Não confiem na MDL REALTYE prestem muita atenção nos contratos, especialmente no que toca a data de entrega!

Quanto à construtora, a Sinco Engenharia, basta dizer que eu simplesmente não consegui manter nenhum dos revestimentos usados originais que vieram com o apartamento, dada a “qualidade” dos mesmos; e que coisas básicas como o caimento nos banheiros e cozinha são péssimos. Obras corridas, sem o devido capricho.

Enfim, depois que recebi as chaves, coube a mim ditar as regras do meu espacinho, e aí sim a coisa começou a ficar legal.

Posts relacionados: A saga do apartamento, Atraso nas Chaves

* * *

02.

Finalmente os Móveis Planejados da Cozinha!!! – Italínea

“Finalmente” é com certeza a palavra certa para descrever essa experiência bem recente. Os móveis da cozinha foram a primeira coisa que comprei para o apartamento, antes mesmo de receber as chaves dele, há mais de um ano atrás, como relatei em Projeto da Cozinha. E, se dependesse da loja New Móveis e sua fábrica, a Unicasa, eu ainda estaria sem eles.

Após a loja onde comprei fechar (o dono pegou o dinheiro dos clientes e fugiu, segundo fui informado pela própria New), e eu constatar que a fábrica não queria me ajudar (me enrolaram por meses a fio, como relatei aqui), levei o caso  para a justiça e comprei os móveis novamente, em outra loja, a Bon Bini, da fábrica Italínea. No final do prazo, os móveis foram entregues e montados sem maiores preocupações. Queria eu ter comprado na Bon Bini antes!

Ah se alguém tivesse escrito um “A novela dos móveis planejados” antes de mim, teria me poupado de tanta dor de cabeça! Mas enfim, agora os móveis estão lá na cozinha, lindos e funcionais.

Posts relacionados: Projeto da CozinhaA novela dos móveis planejados (ou também: “Fujam da NEW!”)A novela dos móveis planejados continua (Mais problemas com a New Móveis)A novela dos móveis planejados, parte 3: Descaso da New/UnicasaNovo Projeto da Cozinha: Italínea.

* * *

03.

A saga do piso, parte 5: Laminado finalmente instalado!!!

O piso… definitivamente um dos posts que mais gostei de escrever (notem que essa é a parte 5 da série sobre pisos laminados). O piso vem de uma paixão antiga, de uma fascinação por pisos de tábua corrida. Sempre gostei, desde criança. Quando comprei o apartamento, tinha uma certeza absoluta: queria um piso assim, e estava disposto a desembolsar um pouco mais para ficar do jeito que sempre quis.

A linha de pisos laminados Studio da Durafloor, com seus vincos nas laterais das réguas, é muito linda: amplia o ambiente, dá aquele ar acolhedor e é muito elegante. E dá exatamente o efeito que eu estava buscando, com as tábuas corridas. Até hoje eu me pego admirando o piso, acreditam?

Posts relacionados: A saga do piso, parte 1A saga do piso, parte 2A saga do piso, parte 3: Chaves sim, obras não…A saga do piso, parte 4: ano novo, casa nova… problemas novos.

* * *

04.

Sala de jantar tomando forma: Mesa e Papel de Parede!!!

A escolha do papel de parede e da mesa de jantar para o apê foram muito importantes, porque foram eles que basicamente ditaram as outras escolhas que fiz para a sala de jantar e estar. Você tem ali representada toda a paleta predominante no apê, branco, cinza, bege, marrom acinzentado. Sofá, rack, espelho, iluminação, tudo foi pensado para potencializar a beleza e estar em sincronia com esse espacinho ali.

Foi quando eles chegaram que eu também suspirei e disse, “é, as coisas estão MESMO acontecendo!”,  e por isso o post é digno de figurar na listinha.

Posts relacionados: Objetos de desejo: Mesa de jantarEscolhendo o Papel de Parede

* * *

05.

Organizando o Open House

Parte 1: Quem/Como/Quando convidar + O Que servir

Parte 2: Como recepcionar os convidados e Decoração

Para quem está com um apartamento novo, uma das maiores alegrias é aquele momento em que você finalmente pode chamar os seus amigos para conhecer seu lar.

Por essa razão, pra fechar o “Top 5” escolhi as duas partes do post “Organizando o Open House”, onde falei sobre todos os aspectos da “estreia social” do meu apê, desde planejamento e cardápio até decoração. Foi muito bom receber meus amigos em casa! E parece que até inspirei alguns deles a retomarem suas reformas!

* * *

Bem, é isso. Com um ano de idade, o blog está atingindo a maturidade, e, ainda que muitos posts-chave já tenham sido escritos, ainda tenho vários outros que estou bem ansioso para começar a escrever e compartilhar com vocês… começando com o que devo postar já na semana que vem, o das Pastilhas INOX na Cozinha, finalmente! Comprei as pastilhas há quase um ano, mas só agora, que os móveis foram instalados, que pude chamar alguém para colocar.

Enfim, fiquem ligados… ainda tenho muita história pra contar 😉

Grande abraço,

Thiago S.