Portas Coloridas na Decoração

Assim como eu não sou a mesma pessoa que era 4 anos atrás (quando comecei a decorar o apartamento), tampouco é meu apartamento. É possível que a vontade de redecorar a sala tenha surgido como um reflexo disso. Hoje me sinto muito mais confortável para experimentar coisas menos fora do lugar-comum e que, inevitavelmente, fazem do meu espaço algo mais próximo da minha personalidade.

A gente se inspira através da leitura e de inúmeras imagens que podemos encontrar por aí, filtra e pensa, “ok, e agora, como eu posso fazer isso funcionar para mim?”; e hoje eu sei que a parte do “para mim” é mais importante do que qualquer outra coisa.

Uma máxima: Nossa casa, nossas regras.

Então: uma coisa que eu quis trazer para a decoração esse ano, e que não estava presente de forma significativa anteriormente, era cor. De certa forma, quando comecei a decorar o apartamento, estava decidido a manter a decoração com tons neutros e mais frios – o que sempre funciona bem e é super indicado para ambientes menores pois dá uma sensação maior de amplitude.

E outra: é bem mais fácil acertar. Tons de cinza, branco e off-white, um bege aqui ou ali. Não tem como não dar certo! É mais seguro e fica sóbrio e contemporâneo.

Mas aí passaram-se alguns anos e eu decidi que estava na hora de experimentar algo um pouco mais vivo e dinâmico: eu estava sentindo falta de cor na minha casa. Isso foi mudando aos poucos; primeiro através de alguns detalhes que resolvi incorporar na decoração, como as almofadas do sofá, da bandeja porta-copos

…das banquetas na sala….

View this post on Instagram

splash de cor pra animar a decoração!

A post shared by a saga do apartamento (@asagadoapartamento) on

…das molduras nas portas

…e finalmente nas paredes; que saíram do branco e do cinza e ganharam tons mais terrosos (ainda que sóbrios, como vocês podem ver no encontro delas nesse cantinho da sala):

rodateto poliestireno k1

Na única parede branca da sala, o antigo quadro (que adivinhem, era preto-e-branco) deu lugar à outro quadro em que há uma explosão de cores:

tela com flores moderna sala

… e voilà: a dinâmica do apartamento mudou c-o-m-p-l-e-t-a-m-e-n-t-e.

Claro que precisamos notar também que houve uma preocupação em coordenar as cores que estavam sendo usadas: tons de vermelho se fazem presentes na bandeja, na almofada, na banqueta, e no quadro; todas as molduras foram escolhidas à partir das cores presentes no quadro, que vai de um azul mais intenso, passando pelo laranja e chegando… ao vermelho.

Assim, as salas de jantar e estar ganharam sua própria identidade visual.

Mas…

o mesmo não acontecia com o corredor que levava aos quartos – eles mantinham-se brancos, com as portas brancas e quadros em preto e branco – ou seja, ecoavam a decoração antiga.

Para atualizá-lo e deixá-lo um pouco mais coerente com a nova decoração, resolvi manter as paredes brancas – afinal, é bom manter um pouco de branco quando se tem espaços menores – e pintar somente as portas. Era algo que eu já tinha vontade de fazer porque portas brancas sujam muuuuuito! E ainda mais com acabamento fosco, dificulta a limpeza. Então resolvi sair do branco e trazer cor pro corredor também.

Procurei por algumas ideias sobre o uso das portas coloridas na decoração e descobri que elas podem ser usadas das maneiras mais diversas:

  • na porta de entrada, como as famosas portas da Irlanda, que quebram a monotonia da faixada e conferem forte personalidade à construção;

portas coloridas decoracao

  • em ambientes internos, acompanhando a cor da parede colorida;

porta colorida mesma cor parede

  • em ambientes internos, contrastando com a cor da parede e mantendo o caixonete/portal na mesma cor da porta;

porta colorida caixonete colorido amarelo

  • em ambientes internos, contrastando com a cor da parede e com caixonete de cor diferente da porta:

PORTAS coloridas

Dessas possibilidades, a que eu acabei escolhendo foi essa última: optei por deixar o caixonete – que havia sido recentemente repintado de branco – intacto, pelo menos no início, para observar o resultado.

Quis fazer um teste e pintar somente as portas; depois, se eu achasse que seria melhor pintar também o caixonete, eu o faria (sim, dessa vez eu mesmo coloquei a mão na massa e pintei a porta!)

Mas acabou que eu fiquei muito satisfeito com o resultado, que ficou assim:

DCIM152GOPRO

O corredor é outro!! Agora sim ele está de acordo com o resto da decoração da sala. Achei ótimo o efeito visual ao ter deixado os caixonetes brancos! Talvez a pintura do caixonete também deixaria o espaço, que é pequeno, mais pesado.

DCIM152GOPRO

Notem também que cada porta ganhou uma moldura colorida (aquelas molduras do início do post), o que deixa tudo um pouco mais divertido!

Especialmente gostei do contraste entre esse laranja e o azul profundo.

porta colorida banheiro azul coral

E no banheiro, o tapetinho já foi mudado para combinar com a porta nova!

Detalhes…

Isso para vocês verem o que uma ideia na cabeça e uma lata de tinta podem fazer! E ah, falando em tinta, a cor que usei foi a Turquesa Veneziana da Coral, com acabamento Acetinado.

Bem pessoal, por hoje é isso. Espero que tenham gostado! 🙂

 

Grande abraço, até a próxima… e um excelente, iluminado fim de ano para todos!

Thiago S.

 

Se você gostou desse post também vai gostar de:

Anúncios

Redecorando a Sala – parte 1: Pintura das Paredes e Portas

Sempre há um momento em que nós olhamos para algo e pensamos, “é, chegou a hora de mudar”. Acredito que mudanças são coisas boas; nos fazem sair do lugar-comum, da mesmice; nos desafiam.

Preciso dizer que nada aqui no apartamento foi pensado como “provisório”: tudo que foi para o lugar, foi como definitivo. Se eu não tinha condição de fazer determinada coisa em determinado momento, eu preferia adiá-la até poder realizá-la como tinha em mente, evitando deixar uma solução provisória “tapa-buraco”, pois muitas vezes ela acaba tornando-se definitiva. Sabe como é.

Mesmo assim, em algum momento… a vontade de mudança chega. Pode aparecer por uma questão de funcionalidade (“encontrei um uso melhor para isso”),  por uma questão estética (“acho que isso traria mais destaque ao ambiente”), ou simplesmente por que você quer mudar. Acontece. E aqui em casa, um pouquinho disso tudo tem acontecido.

É por isso que, com o post de hoje, inauguro essa série de posts sobre a Redecoração das salas de jantar e estar. Ainda estou feliz com muitas de minhas escolhas: a mesa de jantar, o papel de parede, o piso, o rack… todos foram escolhas acertadas, felizmente!! Mas há outras coisas que irei repensar, e compartilho aqui com vocês, agora, a primeira delas.

E vou lhes dizer: é tão bom estar escrevendo sobre isso de novo! Tive muita saudade de escrever aqui no blog, então abrir essa série de posts me deixa muito feliz.

Vamos lá?

* * *

Foi no final de 2011 que recebi as chaves do apartamento, e, logo a seguir, a primeira coisa que quis fazer foi pintar o apartamento. As cores já tinham sido decididas (na verdade, elas já estavam compradas até mesmo antes da entrega das chaves, naquela ansiedade que ficamos de entrar logo em casa), então o processo foi rápido e o resultado me deixou bastante satisfeito.

Caso queiram (re)visitar os posts originais, falo sobre a pintura do quarto aqui e da sala aqui.

Assim como aconteceu originalmente há alguns anos, o primeiro passo que dei quando resolvi que iria repensar a decoração do apartamento foi em relação à seleção das cores. Em primeiro lugar, quis refazer a pintura porque: (a) ela realmente estava precisando ser refeita – especialmente a das paredes brancas, que sujam mais fácil e (b) eu queria experimentar outras nuances no apartamento. Elas são fundamentais para todo o resto.

Precisava pensar bastante sobre elas, pois é complicado você mudar a cor das paredes de um ambiente pronto, que já dita as suas próprias necessidades de cor. Bem diferente de quando o apê está vazio e você pode decorar à partir das cores que colocar na parede.

Queria algo que trouxesse novidade, mas sem contrariar a identidade visual já estabelecida da sala.

Então, em primeiro lugar, queria pintar essa parede aqui:

sala parede branca

… que é a parede da porta de entrada do apartamento. Queria uma cor diferente do branco. Ao pensar sobre minhas possibilidades, e ciente do fato de que a nova cor precisava estar consoante ao resto da decoração (especialmente se tratando de um ambiente pequeno!), fui buscar a resposta… no meu papel de parede. A resposta estava lá, há anos.

papel de parede verve italiano

Fazia sentido: O papel de parede tinha as nuances que se fazem presentes no resto da decoração: o cinza – lá desde sempre – e agora, esse outro tom que está nas folhas do papel.

Foi assim que cheguei nessa cor da Coral:

Coral Bege Vale do Deserto

Gostei dela pois ela é um tom neutro que não tem nada de insosso – não é claro demais (sendo que a mudança seria quase imperceptível) mas também não é escuro demais. Ele tem personalidade, mas não grita.

E aí, eis que, um galão de tinta depois, essa é minha nova parede de entrada:

parede sala de jantar bege Coral Vale do Deserto

Quanta diferença, gente! Eu adorei o resultado! Ficou exatamente como eu tinha em mente. É impressionante o que um pouco de tinta não faz por um ambiente. Notem que a moldura do espelho, branca, realmente se sobressai agora com a parede em cor diferente.

Outro detalhe que vocês podem perceber é o fato de que eu precisei trocar a cor do caixonete da porta (comparem a 1a foto com a 2a). Enquanto o caixonete cinza funcionava muito bem com a parede branca, ele não combinaria com a cor nova. Assim, resolvi mudar a cor dele para a cor original, branca – pois assim está mais de acordo até mesmo com a moldura do espelho. Dessa vez, usei esmalte com acabamento acetinado ao invés de alto brilho, uma tinta que remete à própria laca, bem menos brilhoso do que aquele esmalte comum.

Já que estamos falando de portas, aproveitei para repintar todas as portas dos quartos e do banheiro, também. O esmalte branco, com o passar dos anos, vai ganhando um tom levemente amarelado. Vamos ver a diferença do que estou falando?!

pintura porta esmalte fosco

Dá pra ver claramente a diferença: À esquerda, a porta pintada em esmalte com acabamento fosco; à direita, a porta sem ser pintada, ainda em esmalte de alto brilho. Fica realmente gritante a diferença quando começamos a pintar.

pintura porta esmalte fosco branco

Como dá para perceber, o acabamento fosco, mesmo sob incidência de luz, praticamente não a reflete; o que o faz um acabamento elegante.

E agora, vamos pra sala de estar.

Lá atrás, quando pintei o apartamento pela primeira vez, as paredes do sofá e da TV ganharam esse tom de cinza:

coral toque de cinza personalizada 2

Dessa vez, quis ousar um pouquinho mais, e trazer uma cor um pouco mais forte. O cinza que escolhi antes era muito agradável; não cansava, relaxava. Queria manter essa beleza sutil do cinza, só que com uma cor que trouxesse um tom um pouco mais terroso e que também remetesse à mesma paleta da cor nova, a Vale do Deserto.

Cheguei no tom Pinheiro Inglês, também da Coral. Ele, nas amostras, parece ter muito de cinza e algo de verde escuro; já na parede, o tom revelou-se como tendo uma presença pronunciada do verde escuro, e o cinza lá no fundo. Vamos ver??

Cores são coisas realmente fantásticas; é impressionante como mudam completamente a dinâmica de um ambiente. É outra sala! Inicialmente, fiquei reticente em relação à cor e pensei em mudar (pois ela ficou diferente do que tinha em mente), mas acabou que gostei bastante do fato de que apesar de ser uma cor forte, ela traz algo de acolhedor também.

Minha ideia era trazer o mesmo tom para a parede do lado oposto, onde fica o sofá; na mesma configuração do cinza anterior. Só que enquanto o cinza era bem claro e discreto, esse Pinheiro Inglês é mais fechado e marcante. Assim, imaginei que se ele fosse para os dois lados da parede, iria deixar uma sensação de ambiente mais pesado – diferente do clima clean que tento sempre imprimir ao espaço, que é restrito.

Lógico que não poderia deixar o cinza original também (pois aí seria um carnaval!), então, preferi trazer de volta o branco como forma de equilibrar o todo e aumentar a sensação de amplitude. (Depois mostro essa parede branca, em outra ocasião – pois tem outras coisas que quero mudar em relação à parede do sofá. Aguardem…).

* * *

Acho que, no fim, as cores novas ficaram muito bem casadas (mesmo que a segunda tenha saído um pouco diferente do que imaginava): uma das paredes da sala de estar ganhou esse tom forte e marcante, mas que foi neutralizado pela presença da parede branca onde não havia antes; o branco está também na moldura do espelho e na nova moldura da porta de entrada.

delimitação de ambientes por cor (2)

Observemos também que a cor Vale do Deserto delimitou claramente o espaço da sala de jantar, enquanto o Pinheiro Inglês ditou o espaço da sala de estar. São cores diferentes mas que se dão muito bem juntas; ambos tem um quê de terroso nelas.

Gostei bastante dessas mudanças que trouxeram um ar completamente novo ao que já estávamos acostumados. É bom saber que com uma ideia na cabeça e uns galõezinhos de tinta, a gente faz praticamente qualquer coisa! 🙂

Nos vemos em breve… vem mais ideias e novidades por aí. Enquanto isso, não esqueçam de nos seguir no Instagram: @asagadoapartamento.

Abraços!

Thiago S.

 

Se você gostou desse post, também vai gostar de: