Redecorando a Sala – parte 3: Nova Bancada Americana

Quando introduzi essa série de posts sobre esse processo de redecoração da sala, disse que essa vontade de mudança pode ocorrer por diversos motivos – sejam eles relacionados à funcionalidade (“encontrei um uso melhor para isso”), à estética (“acho que isso traria mais destaque ao ambiente”), ou simplesmente pela nossa vontade inerente de mudar

Enquanto os dois primeiros posts da série estão mais relacionados à questão estética (pintura nova das paredes, molduras de teto), o assunto de hoje se encaixa principalmente dentro do âmbito da funcionalidade, mas, claro!, a gente pode sempre tentar unir o útil ao agradável (literalmente, nesse caso rs) e tentar aprimorar também a parte estética, no que pensamos em algo mais funcional.

Bem: gostava muito da minha bancada americana antiga, que funcionava como transição entre a sala e a cozinha. Pra quem não lembra, esse aqui é o ANTES:

bancada cozinha americana

Como vocês podem ver, a bancada era extremamente clean e discreta. Ficaria com ela por mais tempo, não fosse um pequeno grande porém: Eu. Preciso. Otimizar. Espaço (mantra dos apartamentos pequenos). Minha cozinha é pequena, e, ainda que meus móveis tenham sido planejados para tentar maximizar esse espaço,  mesmo assim… sinto falta de espaço.

Então resolvi que aproveitaria o espaço da bancada para incluir, embaixo dela, um armário. O espaço era precioso: Com 1 metro de comprimento, 1,20 de altura e 50 cm de profundidade, o armário teria espaço para guardar muita coisa. Já estava decidido, então só faltavam os detalhes de acabamento: queria algo que fugisse do tampo branco, pois já que era pra mudar, queria mudar mesmo.

Vou mostrar então algumas fotos e fazendo os comentários!

2

bancada cozinha americana madeira linheiro grigio

Como vocês podem ver – é linda! 😉 – o acabamento escolhido, chamado Linheiro Grigio (que é facilmente encontrada no catálogo de qualquer loja ou profissional que trabalha com madeira), é um tom acinzentado e todo riscado de madeira que remete muito ao piso laminado da sala (o Carvalho Dover). O fundo do armário, branco, faz com que a bancada continue em harmonia com a prateleira superior, que se manteve no lugar.

Note também, nas fotos acima, que o armário interno é 10 cm menos profundo que o tampo (o tampo da bancada tem 50cm, o armário 40cm), deixando mais confortável sentar ali.

passa prato linheiro grigio madeira

Como disse, sendo o tom bastante próximo ao do piso, a bancada funciona bem como transição entre os ambientes.

Outra coisa que podemos perceber pela foto é que a profundidade do tampo é maior que o da bancada branca original (que tinha apenas 30cm). Essa área de trabalho um pouco maior faz uma boa diferença!

bancada armario cozinha americana

A divisão interna dos armários foi pensada para maximizar todos os espaços. O armário tem portas de correr (fundamental para espaços pequenos) e, dentro dele, 1 prateleira que separa os 2 vãos de 1 metro de comprimento cada. A profundidade interna do armário é de 40 cm (o que dá pra organizar os itens em fileiras). Acima do armário, podem perceber que há outro vão, de apenas 15 cm de altura, bastante funcional: pode servir para armazenar temperos, panos de prato, garrafas de vinho, enfim, o que você quiser.

Para finalizar, mandei fazer numa vidraçaria um vidro nas mesmas dimensões do tampo da bancada. Isso foi por experiência própria: ali, do lado da cozinha, acabamos sempre colocando algo molhado. Para proteger o tampo, quis colocar um vidro transparente, que valorizasse a beleza do padrão de madeira escolhido.

Na verdade, se repararem bem, o vidro é um pouquinho de nada menor que o tampo:

11

… o que foi pensado para prevenir qualquer tipo de acidente. A aderência do vidro à madeira se dá pelos silicones que você também pode ver na foto acima. E, claro, vidro é bem prático de limpar, o que o torna não só esteticamente agradável como também funcional.

Bem, pessoal, é isso! Fiquei super feliz com minha bancada nova, principalmente por sua funcionalidade, mas acabei amando o visual novo que ela conferiu à sala/cozinha.

cozinha americana moderna bancada madeira e vidro

Abraços e até breve!

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Anúncios

Decoração de Natal

Adoro ver as varandas todas iluminadas. Adoro ver os lugares por onde passamos todos os dias de repente ganhando uma nova textura, um ar completamente diferente. Adoro ir pra cama de noite, no escuro, só com a luz difusa do ‘pisca-pisca’ dando um pouco de claridade. Me remete imediatamente à minha infância, ao tempo onde eu roía os dedos de ansiedade pro Natal chegar. E sempre me entristecia quando era hora de desmontar a árvore, de tirar as luzinhas.

Dois anos atrás, eu começava meu post sobre a decoração da varanda para o Natal assim. Era meu primeiro Natal aqui no apartamento novo, e, na época, eu ainda estava em processo de mudança, priorizando outras coisas, então a varanda foi a forma que encontrei pra dizer que aquilo era importante pra mim.

Esse ano, finalmente, eu pude prestar atenção na decoração de Natal: comprar uma árvore, pensar nos enfeites e tudo mais. Melhor que falar sobre isso… é mostrar! Então vamos começar com os enfeites?

decoração árvore natal

Eu decidi, ao buscar algumas imagens de árvores decoradas na internet, que queria que os enfeites fossem predominantemente dourados; dá um contraste bonito com o verde e fica legal tanto de noite quanto de dia. Essas são algumas bolas que usei, todas encomendadas online, em sites como o Submarino e o da Lojas Americanas.

bola de natal dourada 2   bola de natal dourada  árvore

Outro tom presente na árvore é o prateado, um pouco mais discreto que o dourado, mas que o complementa bem. Enquanto as bolas são todas douradas, os enfeites prateados vem em formas diferentes.

 
enfeites natal prateados  ponta árvore estrela

Esses foram trazidos de uma viagem ano passado, mas não é difícil encontrar versões próximas a essas em lojas de decoração . A ponteira em estrela faz parte da árvore, que contém um sistema de iluminação próprio, dispensando o uso de pisca-piscas.

fibra ótica na árvore

Como pode ser vista na foto, o fato dela possuir sua própria iluminação em LED é bom também pois a árvore não precisa ficar com aquele emaranhado de fios de pisca-pisca. Algumas das pontinhas da árvore são também em fibra ótica e se acendem, causando um efeito bem legal. Você pode também controlar a iluminação (são 6 possibilidades de dinâmicas). A árvore em si não é grande (não teria espaço para uma árvore grande aqui!!!), mas ficou exatamente como eu queria 🙂

árvore iluminada

 E não poderia deixar de lado a minha pequena varanda, que esse ano, vista de fora, ficou assim:

varanda natal

Trouxe a iluminação para dentro da varanda também, que se estendeu embaixo da floreira. Adoro ficar sentado ali, observando como todo dia parece que a cidade se ilumina mais e mais para o Natal. E pra finalizar, a porta para a varanda ganhou uma cascata azul.

cascata pisca pisca

Sim: eu adoro essa época do ano! ❤

Queridxs, queria aproveitar para desejar-lhes um maravilhoso fim de ano, e que a paz e o amor reinem em seus lares. Nos vemos por aqui novamente em 2015!

Beijos e abraços,

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Reavalindo a compra… do piso laminado (Durafloor/ Pallas Dobbin)

saga do apartamento 2 anos

Como vocês podem ver aí no print, há exatos 2 anos eu publicava meu primeiro post aqui, que levava o mesmo nome do blog. Confesso: é estranho reler algo que escrevi aqui antes. Me faz lembrar do quão difícil foi chegar aqui, em casa, no fim do dia, e ver tudo do jeito que está. Ler aquele primeiro post é quase doído, foi uma época bem angustiante. E o blog me ajudou muito a lidar com isso, e me fez conhecer muita gente legal. Como já disse aqui antes, esse mundo dos blogueiros de decoração é um muito delicioso de se fazer parte, são todos como bons vizinhos.

De lá pra cá, muita coisa aconteceu, essa época parece incrivelmente distante de mim, mas é bom saber que toda a trajetória está aí pra auxiliar quem está passando pela(s) mesma(s) coisa(s).

Me deixa feliz quando me dizem que estou ajudando – bem, obrigado, vocês também me ajudaram muito. E vamos que vamos!

Hoje vou postar algo que já me pediram diversas vezes: uma reavaliação do piso laminado.

* * *

“Reavaliando a compra…” é uma série de posts onde revisito minhas escolhas para o apartamento criticamente, focando na durabilidade dos produtos, na assistência técnica e no suporte pós-vendas das lojas e fabricantes.

FATO: A primeira vez que eu enxerguei meu apartamento como “LAR” foi quando eu vi meu piso laminado, tão sonhado, finalmente instalado. Coisa que eu ilustrei, na época, com essa foto aqui no blog:

carvalho-dover3

Que lembrança boa. Eu sempre soube que queria piso de madeira; mas daí até chegar no modelo específico, e depois finalmente vê-lo prontinho… foi uma longa jornada. Isso tudo vocês podem, se tiverem interesse, ler detalhadamente nos posts onde falo sobre o assunto: parte 1, parte 2, parte 3, parte 4 e parte 5.

Mas e agora, mais de um ano e meio depois da compra, como eu me sinto em relação ao piso, no dia-a-dia?

***

AVALIAÇÃO #5 : Piso Laminado Durafloor (Linha Studio, Padrão Carvalho Dover)

EMPRESAS RESPONSÁVEIS: Pallas Dobbin (Loja), Durafloor (Fabricante)

TEMPO DE USO: 1 ano e 8 meses

Bem, antes de mais nada: ninguém compra piso para durar um, dois anos. Pois bem, avaliar *de verdade* eu só poderei depois de pelo menos uns 5 anos de uso, mas como sempre me perguntam sobre o que estou achando do laminado, aqui vai essa review, preliminar, da minha experiência com ele até o momento.

Em primeiro lugar, preciso falar sobre a praticidade do laminado, que é uma mão na roda quando falamos de manutenção! A limpeza, conforme indicação do próprio fabricante, era pra ser somente com um pano úmido… e pronto. Por alguns meses eu segui a recomendação, até que um vizinho, que também tinha laminado, me apresentou isso aqui:

destac

Eu não conhecia o Destac, então fui procurar saber do que se tratava. Chequei no site da Durafloor, e vi que eles dão essa informação: “Conforme consta no Certificado de Garantia, o limpador Destac poderá ser utilizado diariamente, porém não deve ser aplicado diretamente no piso, sempre no pano; caso apresente marcas ou manchas, suspender o uso; poderá também diluir na água, pois é um produto como detergente” (Fonte: Durafloor). Já que era recomendado pelo fabricante, resolvi testar.

Adorei o resultado! O cheiro do produto é excelente, lavanda; deixa o apê com leve cheirinho de limpo. E, claro, sendo uma espécie detergente, é ainda mais eficaz na limpeza que simples pano úmido. Tem uma série de produtos Destac, e esse aí em cima é o específico para laminados. Aqui embaixo o piso logo após o Destac ter sido aplicado.

destac aplicado piso laminado durafloor

Bem, agora em relação à resistência/durabilidade do laminado em si, também sou só elogios. Não que ele não arranhe de forma alguma, isso é mentira; mas é muito menos suscetível à arranhões, obviamente, que um piso de madeira, por exemplo. Dependendo da escala de resistência à abrasão (que no mercado brasileiro, entre os pisos laminados, varia de AC-2 para o mais frágil e o AC-5 para o mais resistente), pode ser bem duro. O meu, Durafloor Studio, é um AC-4, e tive só pequenos problemas com arranhões. Vale lembrar que cada linha da Durafloor (e outros) tem uma resistência específica, sendo essa a razão pela qual são direcionadas ao uso doméstico ou público de alto tráfego, por exemplo.

O maior dos problemas que tive foi numa ocasião bem infeliz onde a prateleira que fica acima da minha bancada da cozinha veio abaixo (ela não tinha sido bem afixada pela montadora dos móveis, olha o perigo!), e com ela vieram também taças e outras coisas de vidro. Triste, mas felizmente, pelo menos, ninguém se machucou. Enfim, o impacto foi bem grande, e nas fotos que tirei, os arranhões são imperceptíveis.

E esse foi um caso extremo. Entretanto, acho que a COR que escolhi também favorece isso, disfarça possíveis arranhões.

O piso continua muito bonito e até agora, eu não me arrependo, de forma alguma, de tê-lo colocado. Ainda mais quando o comparando com o porcelanato da cozinha, que dá bem mais trabalho… Mas aí já é assunto pra outro post.

Então é isso, querid@s! Espero que tenha sanado suas principais dúvidas.

Até a próxima, abraços,

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de: