Dando Vida ao Jardim Vertical: Plantas Naturais na Decoração

Minha varanda, com seus impressionantes 3m2, acabou tornou-se um xodó aqui em casa após a entrada do Jardim Vertical. É realmente incrível como as plantas podem mudar completamente a dinâmica de um ambiente, por menor que seja. Desde então, eu aprendi na prática um pouco sobre diversos tipos de plantas no que convivia com elas e observava suas necessidades.

Esse post é, ao mesmo tempo, uma resposta a vários leitores que pediam justamente dicas sobre que plantas eu recomendava, assim como também é uma sequência do post anterior, onde eu focava em plantas permanentes, ou semi-artificiais, na decoração de interiores.

No post presente me proponho a falar sobre minha experiência pessoal com diferentes plantas naturais na floreira da varanda, dadas as condições de clima um pouco “adversas” da mesma, que eu vou mostrar já já. E tem plantas naturais na decoração do interior, também!

Vamos lá?

Vamos começar de cara começar com um “antes” e “agora” do jardim vertical da varanda, pois vai mostrar claramente como o mesmo evoluiu nesses 3 anos (e como eu fui entendendo melhor o que eu queria daquele espacinho).

Então eis aqui o antes, foto que eu publiquei no blog originalmente em 2013 (e desde então virou queridinha no Pin Interest ❤ )

varanda pequena decorada

Nessa época, eu ainda não tinha ar condicionado na sala; assim, a condensadora ainda não estava presente ali embaixo da floreira, onde estava a mesa. Quando eu coloquei o split na sala, a mesa e cadeiras tiveram que ir para a outra ponta da varanda, e, em cima da condensadora, foram colocados alguns potes de plantas, como forma de disfarçar a presença do trambolho ali e, de certa forma, ampliar o jardim.

Bem, como vocês podem ver na foto acima, eu tinha decorado a floreira com vasos de plantas floridas, o que dava de fato um colorido muito bonito, mas era uma beleza efêmera: a maioria das plantinhas com flores durava 1 semana, 2 no máximo. Vou falar sobre essas também, mais adiante.

Mas antes, vamos olhar para o agora:

jardim vertical verde

jardim vertical varanda

Beeeem diferente, não?! Em primeiro lugar, vocês podem ver que o verde é predominante na floreira; e as plantas não mais ficam mais restritas dentro de seus cachepôs. É uma estética mais próxima a que descrevo nesse post aqui, quando falei sobre a arquitetura e decoração de Nova Orleans, para onde viajei no início desse ano. E é intencional.

Ora, eu tinha em mãos um jardim vertical – e foi justamente disso que decidi tirar vantagem! Essa nova configuração aproveita ao máximo a verticalização do jardim, de forma que as plantas crescem para cima ou para baixo e cobrem, assim, grande parte da floreira. A escolha das plantas foi fundamental nesse caso, com esse propósito. Os ramos das heras, como vocês podem observar na parte direita da foto acima, chegam a mais de 1 metro de altura!

Eu mencionei antes as “condições adversas” da varanda, certo? Pois bem, o mesmo não tem a ver com o sol, na verdade; minha varanda pega apenas o sol da manhã, o que é ótimo, e antes do meio dia as plantas já estão na sombra. O que complica mesmo, no meu caso, é o fato de que a condensadora do ar condicionado fica embaixo da floreira. Então, quando o ar condicionado está ligado na sala, durante o verão, a varanda fica bem quente, naturalmente. O verão do Rio já tem temperaturas elevadas, e, se adicionarmos a condensadora do ar jogando ar quente na varanda… já viu. Muitas plantas não suportam temperaturas tão altas, e as floridas são as primeiras a sentir tal efeito. (Em compensação: a condensadora na varanda é fantástica pra secar roupas, é tipo 2 em 1 – ar condicionado e secadora! ;)

Algumas das plantas que mais deram certo pra mim – pelo fato de que resistiram bem à essas condições específicas e também me agradaram muito por sua beleza, foram:

  • aspargo rabo-de-gato;

aspargo rabo de gato

Se vocês olharem novamente a foto original da floreira, lá está o aspargo rabo-de-gato, que continua até hoje, firme e forte, anos a fio, dando o ar de sua graça aqui!

E em certas épocas do ano, o aspargo dá essas mini-florzinhas brancas, que são lindíssimas. É muito legal poder observar o ciclo completo de uma planta durante o ano! Você se relaciona com as plantas de uma maneira diferente.

Adoro esses aspargos e, se plantados no chão, eles se espalham muito facilmente.

  • heras-inglesas (ou heras-estrelas);

mini heras

Virei fã das heras; algumas estão comigo há mais de um ano, e elas cresceram bastante; como disse antes, alguns ramos já tem mais de 1 metro!

jardim vertical

 

  • pata de elefante;

pata de elefante decoração

Outra planta bastante resistente, a pata de elefante não precisa de rega diária e pode chegar a tamanhos enormes. Como essa está dentro de um pequeno vaso, ela não crescerá muito, mas tem uma forma muito específica e bela.

A minha, já está comigo há mais de 1 ano.

  • ficus benjamina;

Apaixonei-me pela ficus benjamina através de uma árvore semi-artificial (não sabe o que é uma árvore “semi-artificial”? leia aqui), que está decorando minha sala:

DCIM154GOPRO

Então quando achei uma ficus natural no horto perto de casa, não hesitei em trazer a arvorezinha pra minha varanda também. Fora a floração intensa, outra coisa que gosto muito sobre ela é seu tronco e seus galhos, muito bonitos!

Inclusive reutilizei alguns dos seus galhos secos num arranjo no centro de mesa:

Ah, e quanto à árvore semi-artificial, ela continua na sala. Acredito que plantas permanentes desempenhem um papel importante em certos lugares onde as condições não são favoráveis à plantas naturais. Há espaço e oportunidades para que plantas naturais e permanentes convivam num mesmo lar, dependendo das necessidades de cada ambiente.

  • jibóia;

Acho muito legal, também, tentar incorporar plantas naturais na decoração de interiores. As plantas renovam o ar, conferem leveza e claro, trazem um colorido todo especial ao ambiente.

 

cozinha-verde

Entretanto, muitas plantas não se adaptam ao ambiente interno, o que acaba nos levando a dar preferência às plantas permanentes.

Ainda assim, uma planta natural que deu super certo dentro de casa foi a jiboia verde, uma trepadeira que coloquei em cima da prateleira do balcão da cozinha americana, a exemplo da foto anterior.

jiboia verde decoração

A jiboia se adapta bem à ambientes sem incidência direta do sol, mas gosta de luminosidade. E outra coisa boa: ela é uma das melhores plantas para melhorar a qualidade do ar!

Acredito que vá ficar linda quando crescer ainda mais, como uma cortina entre a cozinha e a sala.

 

Bem, agora vamos nos voltar às plantas floridas, mais recomendadas para temperaturas um pouco mais amenas.

  • kalanchoe

A kalanchoe é uma plantinha bastante fácil de encontrar, barata, e que tem floração bem densa; em alguns casos, as flores podem ser até de cores distintas entre si.

kalanchoe rosa

Como podem ver, não são flores grandes, são bem pequenas, mas sempre em quantidade, causando um efeito bem bonito.

Se vocês voltarem na primeira foto do post, também poderão ver uma kalanchoe vermelha na configuração original da floreira.

  • lavandas

flor lavanda

Depois que eu visitei o Le Jardin – Parque de Lavandas em Gramado, na Serra Gaúcha, eu fiquei completamente fascinado pelas lavandas; não só pela beleza das flores como também pelo seu aroma incrível.

Em comum com a kalanchoe, vocês podem perceber o fato de que suas flores não são grandes, o que promove uma durabilidade e resistência maior às mesmas.

  • Gerberas;

Quando falamos de flores maiores, tive experiências positivas com a gerbera, tive algumas muito bonitas, mas apenas quando o clima está mais ameno, durante o outono e/ou inverno, e quando eu não tenho necessidade de usar o ar condicionado.

gerbera

Ter em um apartamento um jardim como esse vale cada centímetro investido: você pode chegar do trabalho cansado, mas há algo quase mágico ali que te relaxa, que tem um efeito calmante. Tomar um café na varanda é uma das coisas do dia-a-dia que mais gosto de fazer.

E é sempre um ótimo lugar pras fotos…

…pra todos! rs

 

Abraços,

Thiago S.

 

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

 

Anúncios

Plantas Permanentes, Preservadas e Semi-Artificiais na Decoração

Foi-se o tempo em que as plantas decorativas eram apenas divididas entre “naturais” ou “artificiais. Agora, temos termos bem mais específicos que são usados para descrevê-las: permanentes,  preservadas, semi-artificiais, híbridas… são tantos que podem nos deixar meio confusos. No post de hoje, vamos falar justamente sobre esses tipos de plantas que estão ganhando bastante espaço na decoração de interiores, e, depois, eu mostro a linda arvorezinha semi-artificial que está decorando minha sala 😉

Bem, em primeiro lugar, o termo plantas “permanentes” tem substituído o antigo “artificiais” pois esse último traz a ideia de algo que pode ser nitidamente reconhecido como  “falso”, o que, muitas vezes, não é o caso de muitas dessas plantas artificiais mais modernas, onde você se questiona até mesmo ao toque se a planta é natural ou não!

arvoresartificiais

arvore permanente

As vantagens principais das plantas permanentes são, obviamente, o fato de que elas podem ficar em ambientes internos sem necessidade de exposição ao sol, e também não necessitam ser regadas. Se você vai viajar, por exemplo, você sabe que quando voltar, ela estará do mesmo jeitinho que a deixou quando saiu! Em suma, se as condições naturais não são favoráveis, as permanentes são uma boa alternativa.

Mas as plantas permanentes ainda podem se subdividir em (a) inteiramente artificiais, (b) semi-artificiais e (c) preservadas.

As plantas inteiramente artificiais, como o nome aponta, não contém partes naturais da planta, tanto nas folhas e flores ou galhos; entretanto, a atenção dada aos detalhes muitas vezes as deixa com aspecto bem natural.

ficus tree

As folhas, muitas vezes confeccionadas em seda, dão um toque bem realístico às plantas.

Já essa abaixo, eu coloquei na floreira da varanda pois essa posição específica onde ela se encontra é a parte que pega mais sol, e, durante o verão, as plantas naturais simplesmente não estavam resistindo ali! (lembra o que disse sobre “condições naturais não favoráveis” no início do post? pois então…) Assim, para não deixar o cachepô vazio, eu recorri à essa renda portuguesa artificial…

renda portuguesa artificial

… que casou bem com o resto das plantas naturais, que são prioridade absoluta na floreira (e por sinal, se você jogar a hashtag #jardimfeat no Instagram, vai ver todas as plantas naturais que tem figurado no meu jardim vertical! 😉

Quanto às plantas semi-artificiais (ou híbridas) elas levam esse nome pois alguma parte dela é natural e preservada: por exemplo, essas árvores a seguir, tem seu tronco *natural*, preservado, o que dá uma riqueza de detalhes maior na decoração.

bambu e chorao artificial

Já as plantas preservadas são resultado da transformação de folhagens naturais que são tratadas quimicamente e conservadas, substituindo assim as plantas vivas em ambientes internos de maneira permanente.

plantas preservadas preserved greens

A riqueza de detalhe é muito grande e cada folhinha foi colada ali individualmente. Por isso, as plantas preservadas são muitas vezes bem caras! Fiquei apaixonado exatamente por esse modelo acima quando estava em Nova Orleans; estava num preço incrível, com um desconto absurdo, mas simplesmente não tinha como trazer algo tão delicado de tão longe. Que dó!

E ressalto também que no caso da folhagem preservada, ela pode exigir sim um pouco mais de cuidado; não pode ficar sob luz direta do sol, e deve ser levemente umidificada se o clima for seco demais.

Quando voltei de viagem (com a planta que ficou na lembrança…) acabei me encantando por uma ficus semi-artificial com tronco natural, a única que estava sendo vendida numa loja de flores aqui perto de casa! E eis que assim ela ficou na minha sala:

E agora, no detalhe:

Se no início eu tinha minhas reservas em relação às semi-artificiais, agora fiquei bastante satisfeito com o efeito que ela deu no ambiente!

Pra finalizar – e dar um charme extra à ocasiões especiais – eu coloquei um cordão de luz no tronco da árvore, que, à noite, fica desse jeito:

20160219190928

Bem, é isso, pessoal! É sempre bom dar uma cara nova pro nosso espaço… e as plantas – naturais, permanentes, que seja – são ótimas formas de fazer isso acontecer. Ter tantas opções não deixa a seleção mais difícil – só deixa mais prazeroso 😉

Confiram sempre outras pequenas novidades do apê em primeira mão no nosso Instagram, @asagadoapartamento! Se ainda não está nos seguindo, o que está esperando?

Abraços e até a próxima,

Thiago S.

 

Se você gostou desse post também vai gostar de: